Bolsonaro promete ESTAS alterações na cobrança do IRPF

Na quarta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro voltou a comentar sobre uma promessa antiga que foi feita em sua campanha e que não tinha sido cumprida ainda, o reajuste na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). O presidente afirmou que dá para dar uma mexidinha” na tabela,porém,não falou em valores.

Bolsonaro promete ESTAS alterações na cobrança do IRPF
Bolsonaro promete ESTAS alterações na cobrança do IRPF(Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Antes disso, já tinha sido prometido aumentar a isenção para R$3 mil ou R$5 mil.

A declaração aconteceu em uma conversa com apoiadores ao chegar no Palácio da Alvorada. 

Lá, uma apoiadora questionou se aconteceria a atualização do IRPF e o presidente disse que nesse ano, por conta dos gastos que o governo teve com a pandemia causada pelo novo coronavírus, no ano de 2020, não foi possível.

“No ano passado, não mexi porque gastamos R$ 700 bilhões. Então não foi possível”, disse Bolsonaro.

Logo depois, a apoiadora perguntou se seria possível realizar uma mudança neste ano.

O presidente afirmou que será possível a realização de alguma alteração, mas não do jeito que ele queria que fosse.  Bolsonaro culpou as medidas de distanciamento social, que foram tomadas para diminuir o contágio pelo novo coronavírus. Hoje, o limite de isenção do IR é de R$1.903,98.

“A economia parece que tá voltando, né? Dá pra dar uma mexidinha nela, sim. Dá pra dar uma mexida… Não dá pra onde eu queria que chegasse, porque o ano passado foi um baque muito grande, foram R$ 700 bilhões de endividamento. Mas sei que tá difícil. Assim como o preço do combustível subiu, cesta básica, mas são as consequências do “fique em casa”, afirmou.

Em sua campanha eleitoral em 2018, Jair Bolsonaro prometeu que iria fazer um aumento na isenção do imposto de renda para aqueles que ganham até R$5 mil por mês. 

No mês de dezembro de 2019, depois do seu primeiro ano de governo, ele defendeu ultrapassar a faixa para R$3 mil, mesmo ressaltando que continuava considerando o limite de R$5 mil como o ideal.

No começo deste ano, o presidente afirmou que o país “está quebrado” e que ele não iria conseguir fazer nada. Nesta situação, foi citada a alteração da tabela como uma de suas promessas que não foram cumpridas. 

Além disso, o presidente colocou a culpa na pandemia causada pelo novo coronavírus e na imprensa, que de acordo com ele potencializou a crise.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.