Nubank aproxima-se do Itaú, Bradesco e outros gigantes após investimento milionário

Nesta quinta-feira (28), o Nubank anunciou que levantou US$ 400 milhões em sua sétima rodada de financiamento. A fintech passa a ser avaliada em US$ 25 bilhões. Com a quantia captada, haverá investimento em expansão para outros países.

Nubank aproxima-se do Itaú, Bradesco e outros gigantes após investimento milionário
Nubank aproxima-se do Itaú, Bradesco e outros gigantes após investimento milionário (Imagem: Divulgação/Nubank)

A rodada de financiamento teve como liderança o GIC, o fundo soberano de Cingapura, o Whale Rock e a Invesco. Houve, também, a participação de investidores de rodadas anteriores, como Sequoia e Tencent.

Em 2019, após uma rodada, a fintech foi avaliada em mais de US$ 10 bilhões. Mesmo diante de um longo período de pandemia de covid-19, a empresa teve a avaliação mais do que dobrada.

Atualmente, o Nubank é o banco digital independente no mundo em número de clientes. Há dois anos, o número de clientes era de 12 milhões. A quantidade atual está em 34 milhões. Após o investimento, a fintech passa a ser a décima empresa mais valiosa do país.

Das empresas listadas na B3, somente oito possuem valores acima do Nubank, como o Banco do Brasil, BTG Pactual e Rede D’Or. Com relação às empresas listadas no exterior, apenas a XP tem valor acima do obtido pela fitech.

O Nubank

O Nubank foi fundado no Brasil em 2013, com a proposta de utilizar a tecnologia e design para oferecer às pessoas o controle sobre a vida financeira. O primeiro lançamento foi o cartão de crédito, em que os clientes podem realizar as transações financeiras sem cobrança de anuidade.

Este cartão é internacional e possui bandeira MasterCard. A empresa tem como um dos principais destaques a conta digital, que dispõe de diversos serviços sem tarifa. Recentemente, a fintech lançou um seguro de vida com valores iniciais de R$ 9 por mês.

Mesmo com o grande alcance nos últimos anos, o Nubank planeja lançar ainda mais serviços. Entre os projetos, está a expansão da unidade de corretagem Easynvest e os cartões de crédito corporativos.

Com a quantia recebida, a fintech pretende expandir internacionalmente na América Latina. Nesta região, por volta de 50% da população é desbancarizada. Cerca de 70% dos bancos tradicionais possuem controle de 70% do mercado. Sendo assim, a empresa vê grande potencial nesses países.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.