Rio Branco, Maceió e São Paulo adotam medidas restritas no funcionamento do comércio

Pontos-chave
  • Avanço da pandemia trouxe medidas mais restritivas;
  • Fase vermelha será aplicada aos fins de semana em São Paulo;
  • Em Maceió, 30% do comércio na orla será reduzido

Devido ao avanço da pandemia do coronavírus pelo Brasil, diversos locais estão voltando a praticar medidas mais restritivas no comércio para conter a doença. São Paulo, Maceió e Rio Branco são um dos exemplos de locais que colocaram em prática medidas mais duras.

Rio Branco, Maceió e São Paulo adotam medidas restrititas no funcionamento do comércio
Rio Branco, Maceió e São Paulo adotam medidas restritas no funcionamento do comércio (Imagem: Google)

São Paulo

Em São Paulo, o governador João Dória (PSDB) comunicou que a região da Grande São Paulo, que inclui a capital, vai retornar para a fase laranja do Plano São Paulo, a segunda mais restrita.

Em outras seis regiões, será aplicada a fase vermelha, que só permite o funcionamento de atividades essenciais. Estas mudanças entram em vigor hoje, 25.

Foi anunciado também que o todo o Estado vai ficar na fase vermelha todos os dias, das 20h às 6h. A fase vermelha será aplicada aos finais de semana e feriados. A princípio, esta determinação vai vigorar por dois finais de semana, indo até 7 de fevereiro.

Com esta mudança , Bauru, Franca, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté passam da laranja para a vermelha. Já Barretos vai passar direto da amarela para a vermelha, unindo-se a Marília, que já estava na fase mais restritiva do Plano SP.

Araraquara, São João da Boa Vista, Campinas, Grande São Paulo e Baixada Santista vão da fase amarela para a laranja, que determina o fechamento de bares para atendimento presencial e com funcionamento de restaurantes somente até as 20h e com capacidade reduzida.

Dória rebateu as críticas que recebeu dos setores econômicos em decorrência das alterações nas fases do Plano SP.

“Respeitamos opiniões contrárias, empresários que atuam em SP em todos setores, compreendemos as preocupações, mas peço que compreendam que sem vida não há economia. Sem existência não há processo econômico que sobreviva. Precisamos cuidar das pessoas e garantir que estejam vivas para que possam ir a bares, shoppings, parques, áreas de lazer e outras tantas áreas. É nosso dever, pela ciência e pelo campo humanitário, defender vidas”, afirmou o governador.

Maceió

Em Maceió, a medida tomada foi a redução de 30% no comércio da orla marítima. A Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social e o Gabinete de Gestão Integrada para o Enfrentamento da Covid-19 fizeram um acordo com as associações responsáveis por este tipo de comércio.

A medida está em vigor desde a última sexta, 22 e determina a diminuição na quantidade de mesas, cadeiras e guarda-sóis na faixa de praia para no máximo 15 jogos por vendedor.

A restrição é válida da Pajuçara até a Jatiúca, no Posto 7. Se a determinada foi desobedecida, o comerciante será punido com a suspensão de seu alvará e da autorização para trabalhar por 15 dias.

  • Mês de março preocupa

A medida foi tomada em decorrência de um alerta dos epidemiologistas que acreditam em um possível pico de transmissão da Covid-19 no mês de março. Neste mês o período chuvoso começa e facilita a contaminação.

“O pronto cumprimento desta determinação, ajudará no combate à covid-19 em Maceió e permitirá que a Prefeitura mantenha funcionando todas as atividades comerciais da orla”, diz a determinação.

Economia na pandemia (Google)

Acre

Na última sexta, 22, o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 reclassificou Rio Branco e os outros municípios do Baixo Acre para a faixa laranja. Esta alteração em Rio Branco não fecha os estabelecimentos, mas reduz a capacidade máxima de atendimento para 30%.

O comitê reclassificou respectivamente as regionais do Alto Acre e Baixo Acre e Purus para as faixas vermelha e laranja. A regional do Juruá/Tarauacá continuou na fase amarela, a de atenção.

O governador Gladson Cameli também anunciou a aplicação do toque de recolher e o carnaval não será realizado no estado.

O plano de retomada no estado é dividido em quatro fases e cada uma permite o funcionamento ou reabertura gradual de alguns segmentos.

Entre as fases estão a vermelha, que é de emergência; alerta, simbolizada pela cor laranja; atenção, pela cor amarela; e cuidado na cor verde.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.