IPVA DF 2021: Calendário, formas de pagamento e acesso ao boleto

O IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) 2021 começa a ser cobrado no mês que vem no Distrito Federal. Os boletos já estão prontos e serão enviados pela Secretaria de Economia para a casa dos contribuintes. Como o documento foi processado, quem realizou indicação pelo programa Nota Legal terá que fazer o download do documento no site do programa ou da secretaria.

IPVA DF 2021: Calendário, formas de pagamento e acesso ao boleto
IPVA DF 2021: Calendário, formas de pagamento e acesso ao boleto (Imagem FDR)

O IPVA poderá ser quitado à vista ou em até três parcelas. As datas de vencimento foram organizadas de acordo com o número final da placa do veículo.

Em 2021, dos 1.330.048 veículos que estão no Distrito Federal, 1.267.044 carnês de IPVA foram emitidos para os veículos fabricados até o ano de 2006.

O restante está isento, recebeu imunidade ou incidência de imposto. Os veículos com mais de 15 anos de fabricação, não pagam o imposto.

Calendário de pagamentos do IPVA 2021 DF

Placa final:

  • 1 ou 2  —   22 de fevereiro e março; e 26 de abril
  • 3 ou 4  —   23 de fevereiro e março; e 27 de abril
  • 5 ou 6  —   24 de fevereiro e março; e 28 de abril
  • 7 ou 8  —   25 de fevereiro e março; e 29 de abril
  • 9 ou 0  —   26 de fevereiro e março; e 30 de abril

Para acessar o site do Nota Legal clique aqui.

Cálculo do IPVA 2021

O valor do IPVA é calculado com base no preço dos automóveis e a taxa que deve ser paga pelos motoristas é de em média 3% do preço do bem.

O tributo é uma responsabilidade de cada estado, porém geralmente para os carros usados, o preço médio cobrado no mercado no final do exercício anterior ao da cobrança é utilizado como base para o IPVA.

A base para os preços vem de publicações especializadas no assunto e, subsidiariamente nas redes revendedoras.

A cotação pode ser feita pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). Já nos casos de carros zero, a base para a cobrança é o valor da nota fiscal.

Para os carros antigos que foram importados diretamente pelo consumidor, a base de cálculo aplicada é o preço indicado no documento de desembaraço aduaneiro, com acréscimo dos demais impostos e encargos, mesmo nos casos de não recolhimento pelo importador.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.