CCR e Ecorodovias temem NOVA greve dos caminhoneiros nas estradas

O presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, prevê uma nova greve dos caminhoneiros no dia 1 de fevereiro. Caso a greve ocorra, a Àgora afirmou que poderá comprometer a situação de concessionárias de rodovias, como a CCR e Ecorodovias.

CCR e Ecorodovias temem nova greve dos caminhoneiros nas estradas
CCR e Ecorodovias temem nova greve dos caminhoneiros nas estradas (Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Segundo o relatório enviados aos clientes, a Ágora relatou que a situação das operadoras poderá piorar. Por conta da pandemia de covid-19, as concessionárias já vêm passando por dificuldades. Os problemas têm sido por conta da redução no tráfego de veículos.

O presidente da ANTB relatou que a paralização conta com o apoio de 21 estados no país, conforme confirmado ao portal Money Times. Ele alegou que essa greve poderá ser maior que a realizada em 2018.

Na ocasião, a interrupção das atividades por 11 dias causou um impacto de R$ 15,9 milhões na economia, segundo dados da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda.

O Conselho Nacional do transporte Rodoviário de Cargas (CNTRS) também indicou a possibilidade de que a mobilização aconteça no país.

Os caminhoneiros estão se posicionando contra o aumento do preço do diesel. Além disso, os profissionais buscam uma aplicação mais contundente dos direitos dos trabalhadores.

No dia 26 de janeiro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, marcou um encontro com o presidente do CNTRS, Plínio Dias.

Confederação dos caminhoneiros nega possibilidade de greve dos caminhoneiros

Apesar da manifestação da ANTB e CNTRC em realizar a paralização, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) afastou essa possibilidade.

Na última quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro anunciou a redução de impostos sobre pneus, conforme um pleito da CNTA.

A confederação alegou que o governo tem mantido abertas as possibilidades de diálogo para resolver a situação. Há, inclusive, um fórum permanente para o relacionamento entre as partes.

O assessor executivo da confederação, Marlon Maues, afirmou que há correções de irregularidades regulatórias, conforme apurado pelo Correio Braziliense.

Ele ressalta que, apesar que as mudanças não estão acontecendo na velocidade desejada, elas estão sendo feitas. Maues destacou que a confederação apresentou várias propostas de projetos, em consequência da abertura do governo.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.