Valor do gás de cozinha atinge o dobro da inflação em 2020; veja quanto vai pagar

Brasileiros terão que pagar ainda mais caro pelo botijão de gás. Pesquisas com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgadas nessa segunda-feira (12), mostraram uma nova inflação no território nacional. O preço de abastecimento de gás de cozinha está com uma alta de 9,24%, o dobro do fechamento de 2020.

Valor do gás de cozinha atinge o dobro da inflação em 2020; veja quanto vai pagar (Imagem: Google)
Valor do gás de cozinha atinge o dobro da inflação em 2020; veja quanto vai pagar (Imagem: Google)
publicidade

Normalmente, o valor gasto em um gás de cozinha tende a ficar entre R$ 50 e R$ 70. No entanto, com o atual cenário econômico brasileiro, a população passou a pagar cerca de R$ 105 no produto.

Trata-se de maior alta da história, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A inflação no gás de cozinha está 4,52% maior que no último ano, o que significa que a população mais pobre deverá ser gravemente atingida.

A grande maioria dos consumidores do combustível são aqueles que moram em casas de baixa estrutura, onde é preciso do botijão para cozinhar.

Atualmente, para custear um botijão de 13 quilos é preciso pagar até R$ 105. O preço médio tende a ser de R$ 75, porém há variações de acordo com as regiões onde o cidadão reside.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o cenário deverá se manter ao longo de todo o ano.

É válido ressaltar que, antes da pandemia, o preço de sua comercialização estava entre R$ 69.

Queda no consumo do botijão de gás

De acordo com o professor de economia da Fundação Getulio Vargas (FGV), Mauro Rochlin, um dos principais motivos para a evolução dos preços diz respeito a redução de demanda.

O gás está sendo cada vez menos comprado, afirmou o pesquisador, fazendo com que sua taxação fique ainda maior.

Ele explica que o consumidor passou a controlar o uso para evitar novas despesas, o que significa uma redução do poder de compra no mercado que contrapartida reage com o aumento dos preços.

O preço do gás de cozinha é determinado por variantes externas, como o dólar e a cotação do petróleo. O petróleo recuperou-se no fim do ano passado depois de experimentar uma queda considerável de preço no início da pandemia. O dólar está atrelado a fatores internacionais e a expectativas sobre a economia brasileira”, reforçou.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.