Salário mínimo vai pagar R$1.100,00 aos brasileiros; como isso impacta as contas do governo?

Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, disse na última quarta, 30, que o reajuste no valor do salário mínimo para R$1.100 neste ano, trará um impacto de cerca de R$4 bilhões nas contas públicas. O secretário, porém, ressaltou que esse valor está dentro do teto de gastos.

Salário mínimo vai pagar R$1,100 aos brasileiros; como isso impacta as contas do governo?
Salário mínimo vai pagar R$1,100 aos brasileiros; como isso impacta as contas do governo? (Imagem Google)

Em uma entrevista pela internet, o secretário disse que “se você comparar os valores, estamos falando de um aumento aqui aproximado de 4 bilhões de reais, então está dentro do espaço do teto, acho que estamos bem embasados nisso e o respeito ao teto. “Todas as regras fiscais serão respeitadas”, disse.

O valor do salário mínimo para 2021 foi confirmado através do Twitter pelo presidente Jair Bolsonaro, na última semana. O presidente também assinou uma Medida Provisória autorizando a quantia.

Marcelo Guaranys, o ministro interino da Economia, explicou que o reajuste no valor do salário mínimo foi baseado no INPC, da mesma forma que o reajuste de 2020.

Waldery Rodrigues, secretário Especial da Fazenda, seguiu pelo mesmo caminho de Guaranys e ressaltou que o governo avaliará os ajustes nos relatórios bimestrais para acompanhar as despesas e efetuar um possível contingenciamento de gastos.

Benefícios Sociais

Os beneficiários precisam se atentar ao fato de que mesmo os benefícios baseados no piso nacional, é preciso considerar também as regras de concessão dos mesmos.

Para o abono salarial, o trabalhador só receberá a parcela máxima de R$ 1.100 (valor aproximado) se tiver trabalhado por 12 meses no ano anterior ao calendário.

Já no seguro desemprego, as três faixas salariais serão atualizadas de forma que o cálculo seja realizado com base nos últimos salários ofertados, tempo de serviço e quantidade de solicitações do benefício, sendo assim estipulado os valores das parcelas a serem pagas.

E por fim, no INSS a definição exata do valor de cada benefício deve ser feita baseada nas regras de concessão.

De forma geral, nenhum benefício de pensão ou aposentadoria pode ter um valor menor que o piso nacional.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.