FGTS emergencial: Vale a pena sacar R$1.045 ou é melhor devolver? Saiba AQUI!

Prazo para saque do FGTS emergencial será encerrado nos próximos dias. Os trabalhadores que ainda não retiraram o benefício de suas contas do Caixa Tem, devem ficar atentos. De acordo com o cronograma estipulado pela Caixa Econômica Federal as possibilidades de movimentação do dinheiro só serão autorizadas até o início da próxima semana. 

FGTS emergencial: Vale a pena sacar R$1.045, ou é melhor devolver? Saiba AQUI! (Foto: Google)
FGTS emergencial: Vale a pena sacar R$1.045, ou é melhor devolver? Saiba AQUI! (Foto: Google)

A liberação do saque emergencial vem sendo realizada desde o mês de junho. O benefício foi criado como uma medida de contenção da crise econômica do covid-19.

Não sendo de caráter obrigatório, há muitos brasileiros que estão preferindo manter a quantia de R$ 1.045 tendo em vista a rentabilidade do FGTS.  

Atenção a crise econômica  

Com as variações econômicas e a baixa nas taxas básicas de juros (Selic), manter o benefício retido no fundo de garantia se tornou também uma opção de investimento.

Entretanto, analistas econômicos afirmam que para quem está com as contas apertadas ou corre o risco de passar por um momento financeiro mais delicado, deixar o benefício guardado não é uma boa decisão.  

Como o prazo total de movimentação do FGTS emergencial no app Caixa Tem é até a próxima segunda-feira (30), economistas vem orientando os segurados a retirarem a quantia do fundo de garantia.

Isso porque, depois desse período não será mais possível acessar o valor. Dessa forma, sendo necessário, o cidadão não poderá mais usufruir de uma poupança emergencial.  

Poupar é necessário 

O recomendado para este momento de forte crise econômica e instabilidade financeira é que a população que vive com a base do salário mínimo saque o FGTS emergencial.

Mesmo aqueles que não precisam da quantia no momento, o valor pode ser guardado em uma conta poupança que lhe de acesso a saque quando necessário.  

Exceto para quem já possui um valor reserva, nesse caso é viável resguardar a quantia no fundo de garantia, tendo em vista a segurança já obtida por outros recursos. Para esse grupo, manter o FGTS significa uma pequena parcela de rendimento que poderá ser gozada mais à frente. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.