NÃO compre NESTAS lojas! Procon-SP lista lojas não confiáveis para você se proteger na Black Friday

Semana de Black Friday começa e promete agitar os portais de compras. Nesta sexta-feira (27), será iniciada oficialmente a Black Friday 2020. Considerado o principal evento do calendário varejista, há uma expectativa para o dobro de vendas em plataformas digitais neste ano. Visando evitar fraudes, o Procon SP liberou uma lista com mais de 170 que o usuário NÃO deve comprar. Saiba os detalhes abaixo.  

NÃO compre NESTAS lojas! Procon-SP lista lojas não confiáveis para você se proteger na Black Friday
NÃO compre NESTAS lojas! Procon-SP lista lojas não confiáveis para você se proteger na Black Friday (Imagem: Google)

Com a pandemia do novo coronavírus, mais do que nas edições anteriores, a Black Friday 2020 espera ter o dobro de sua atuação na internet. Diante da necessidade de isolamento social, parte significativa dos consumidores já estão fazendo buscas por sites para escolheres seus produtos. 

Fiscalização em tempo real 

Para aqueles que desejarem se assegurar quanto a confiabilidade das marcas online, o Procon de SP preparou uma lista com mais de 170 não confiáveis.

Para acessar a ferramenta, basta se conectar por meio do link sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php.  

Na página é possível ter acesso não só ao nome da loja, como ao seu endereço digital e até mesmo ao número de seu CNPJ.

O Procon explicou que recomenda a utilização prévia de sua plataforma, pois nas últimas edições do festival houve um grande índice de fraudes.  

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

É válido ressaltar que o portal de fiscalização está sendo atualizado e caso haja a identificação de novos links suspeitas o órgão vem adicionando.

Segundo o Fernando Capez, Diretor Executivo do Procon-SP, esse ano os processos de fiscalização da Black Friday 2020 serão intensificados, devido ao aumento das compras online e reclamações sobre as mesmas. 

“A publicidade pode criar uma falsa imagem de promoção e levar o consumidor a comprar um produto que ele não necessita por um preço que pode não ser vantajoso”, explicou. 

Demais dicas para a Black Friday 2020

O órgão reforça ainda que, além de conferir a credibilidade do site o cidadão não deve esquecer de fazer pesquisa de preço, comparar os valores em diferentes marcas, fiscalizar o cadastro de dados de cartão de crédito, evitar links de promoções pelo whatsapp e demais redes sociais, além de monitorar as ofertas de marcas físicas.  

Todos os procedimentos acima poderão ajudar a evitar enfrentar problemas como clonagem de cartão, compras falsas, entre outros tipos de fraude. 

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.