SUS volta a ser usado como isca para aplicar golpes nos brasileiros; previna-se!

Assim como ocorreu no início deste ano, o Sistema Único de Saúde (SUS) voltou a se tornar isca para golpistas que querem conseguir os dados pessoais de dezenas de pessoas para realizar diferentes crimes. Desta vez, eles estão se passando por entrevistadores do TeleSus 136 para roubar as contas do WhatsApp.

SUS volta a ser usado como isca para aplicar golpes nos brasileiros; previna-se!
SUS volta a ser usado como isca para aplicar golpes nos brasileiros; previna-se! (Imagem: Reprodução / Google)
publicidade

Para fazer com que a ligação pareça verídica, os falsos entrevistadores falam que o contato está sendo realizado como uma pesquisa sobre o novo coronavírus no Brasil. Esse tipo de pesquisa realmente é feita pelo Ministério da Saúde.

A diferença é que o governo não solicita dados pessoais, muito menos envia código para confirmação da entrevista. É com este código que os mesmos conseguem aplicar o golpe.

De acordo com o dfndr Lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, o código dá acesso direto ao WhatsApp da vítima e bloqueia o aplicativo do celular do dono.

“Com o golpe da clonagem de WhatsApp, os criminosos roubam o acesso ao aplicativo da vítima. E lucram ao se passarem pela própria pessoa e atacarem seus contatos, pedindo empréstimos, pagamentos de contas e transferências bancárias”, explicou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

De acordo com o profissional, é possível até mesmo acessar os dados bancários das vítimas através deste tipo de golpe.

“Os criminosos geralmente utilizam o nome de marcas famosas ou de serviços do governo, como foi o caso do golpe do falso cadastro do auxílio emergencial, para o qual já identificamos mais de 19 milhões de tentativas de acesso e compartilhamentos e mais de 270 aplicativos falsos se passando pelo serviço oficial. O objetivo desses golpes é, quase sempre, roubar dados pessoais e bancários das vítimas”, disse Simoni.

Para não ser vítima desse tipo de golpe, a recomendação é sempre conferir o número que está ligando antes de atender e ter em mente que o Ministério da Saúde entra em contato apenas pelo telefone 136.

Na ligação do governo, não se pede dados pessoais, códigos ou doações. Mensagens com prêmios, sorteios ou outros tipos de benefícios devem ser igualmente ignoradas.

AvatarIsabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.