INSS represa benefícios em São Paulo; aposentados e pensionistas formam filas gigantes

Atendimento do INSS em São Paulo gera filas com mais de 325 mil pessoas. Mesmo com a retomada das atividades presenciais, aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social estão tendo dificuldade para terem acesso aos seus benefícios. Parte significativa daqueles que tinham realizado agendamentos ainda não conseguiram ser atendidos. 

INSS represa benefícios em São Paulo; aposentados e pensionistas formam filas gigantes (Imagem: Google)
INSS represa benefícios em São Paulo; aposentados e pensionistas formam filas gigantes (Imagem: Google)
publicidade

Já se passaram dois meses desde que as agências do INSS de São Paulo voltaram a funcionar, mas ainda assim a população não está sendo atendida.

De acordo com dados obtidos por meio da Lei de Acesos à Informação, há cerca de 325.021 mil pessoas com os benefícios travados apenas no estado de São Paulo.

Desse total, 188.082 já estavam esperando pela análise anteriormente a reabertura das agências, o que significa que 57% não conseguiu ser atendido pelas plataformas digitais.

Há ainda cerca de 70 mil cidadãos aguardando por mais 45 dias para poder vencer o prazo do INSS.  

A maioria está tendo o acesso a pagamentos referentes ao auxílio-doença, salário-maternidade e Benefício de Prestação Continuada (BPC). Desses, cerca de 78.431 precisam ainda passa por uma perícia médica, correndo o risco de ter a avaliação negada.  

Divisão das filas do INSS por categoria:  

  • 325.021 pessoas aguardam algum benefício 
  • 188.082 pessoas esperam por análise do pedido de aposentadoria (57% do total) 
  • 78.431 pessoas esperam por perícia médica (24% do total) 

TCU determina perícias online 

Diante dos processos de espera que já estavam sendo registrados, o Tribunal de Contas da União determinou que o INSS passasse a fazer perícias por vídeo chamadas. A medida visa otimizar o atendimento e assim andar mais rápido com as filas.  

Nesse momento, o órgão vem fazendo testes com segurados que estão vinculados a empresas parceiras. O programa piloto solicita que a contratante tenha um médico de sua escolha que faz a avaliação de saúde sob a vistoria de um perito do INSS em chamada de vídeo.  

O atendimento funcionará até o dia 31 de dezembro e caso seja concluído com sucesso deverá ser implementando nas normas do INSS para utilização em 2021. Até lá, quem não fizer parte desse grupo deve permanecer tentando um laudo nas agências físicas do órgão. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.