Novo Bolsa Família volta a ser discutido e ministro da Cidadania anuncia data de lançamento do projeto

Brasileiros têm uma definição quanto ao novo projeto social que deverá funcionar em 2021. Após período de mudanças, o ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni informou que está cancelada a aplicação do Renda Brasil e Cidadã ao longo dos próximos meses. De acordo com ele, o governo deverá manter o funcionamento do Bolsa Família que passará por uma série de reformulações.   

Novo Bolsa Família volta a ser discutido e ministro da Cidadania anuncia data de lançamento do projeto (Imagem: Google)
Novo Bolsa Família volta a ser discutido e ministro da Cidadania anuncia data de lançamento do projeto (Imagem: Google)

Tendo em vista a falta de orçamento para custear um novo projeto social, o ministério da cidadania optou por manter o atual Bolsa Família sem aumentar sua folha de pagamento. A ideia é que o programa sofra algumas mudanças, sendo integrado a uma plataforma digital.  

As normas exatas de validação da pauta ainda não foram liberadas. Conforme explicou o ministro, o presidente Jair Bolsonaro deverá divulga-las no início do mês de dezembro. Até o momento sabe-se que serão inclusas questões de mérito para aumentar os valores.  

A ideia é ofertar uma espécie de premiação em dinheiro para os cadastrados que apresentem um desempenho escolar, e portas de entrada, como voucher para gestantes da baixa renda, e de saída, uma espécie de intermediação entre beneficiários e empresas que buscam trabalhadores. 

Bolsa Família digital 

Outro informe também liberado por Onyx é a criação de uma plataforma digital que será utilizada para administrar o projeto. Inspirado no auxílio emergencial, o governo deseja registrar todos os segurados por meio dos dados de seu Cadastro Único para que as pessoas tenham acesso a ferramenta.  

— É um programa inovador que passa muito por essa experiência do auxílio emergencial.  Vamos fazer o encontro entre quem precisa do emprego e quem tem o emprego para oferecer — disse o ministro Onyx em evento no Palácio Guanabara. 

Avaliação do presidente será necessária 

É válido ressaltar, no entanto, que todas as medidas só serão aplicadas caso o presidente Jair Bolsonaro confirme sua aprovação. O gestor ainda não leu a pauta, que deverá ser entregue em Brasília ao longo das próximas semanas.  

— O presidente sempre quis porta de entrada, porta de saída, incluir mérito no programa. Desde novembro do ano passado estamos trabalhando nisso. O programa está pronto, já foi apresentado para o presidente, só falta ele dar o ok — disse Onyx.  

Distribuição de recursos em pauta 

Por fim, questionado sobre os recursos, o gestor explicou que a falta de verba não será um problema. Sua equipe irá incluir famílias em situação de maior vulnerabilidade, por isso deverá ampliar os valores para até R$ 28 bilhões em 2021.  

— Nada a ver com grana, podemos fazer o programa que já está previsto no ano que vem, que são R$ 34 bilhões. Dá para fazer um Bolsa Família inteirinho mesmo. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.