Microcrédito da Caixa surgirá com fim do auxílio emergencial liberando empréstimos de R$1 MIL

A Caixa Econômica anunciou o seu desejo de criar um novo banco, em que ficarão disponíveis microcrédito para os usuários. Esse é uma dos planos do governo de Jair Bolsonaro para que os impactos do fim do auxílio emergencial sejam minimizados.

Microcrédito da Caixa surgirá com fim do auxílio emergencial liberando empréstimos de R$1 MIL
Microcrédito da Caixa surgirá com fim do auxílio emergencial liberando empréstimos de R$1 MIL (Imagem: Reprodução/Google)

A ideia é colocar a disposição cerca de R$ 10 bilhões para 10 milhões de microempreendedores, que terão acesso a empréstimos com valor de R$ 1.000.

Tendo de três a cinco anos de prazo de pagamento e juros potencialmente abaixo dos praticados no mercado.

O presidente do banco, Pedro Guimarães disse que essa iniciativa não é um novo auxílio “O microcrédito não é auxílio. O auxílio é transferência. O microcrédito é um crédito, para aqueles que têm condição de pagar a Caixa de volta“, disse.

Como está a operalização desse programa?

O programa de microcrédito sempre foi a chave da gestão e que não tinha sido colocado em prática por conta de não ter uma parte digital.

Após a pandemia, o desafio de realizar o pagamento do auxílio fez com que a parte tecnológica do banco se desenvolvesse ainda mais.

Atualmente, o banco digital possui 105 milhões de clientes, dos quais 80 milhões são ativos.

Qual o orçamento?

O Banco não limitou o capital de funding, o microcrédito será concedido para quantas pessoas conseguirem fazer o pagamento de volta.

As pessoas que não podem pagar o crédito são aqueles que fazem parte de programas de transferência de renda.

Qual o público-alvo?

O público alvo do banco não é apenas 1, entre eles estão: comércio, catadores de reciclagem, cooperativa, profissionais liberais.

De acordo com Guimarães, “Eu estava no 82º Caixa Mais Brasil, em Cuiabá, num lixão. Lá, tem uma comunidade com 35 membros e essas pessoas pegam o lixo e vendem para o reciclador. Todos têm CPF, receberam auxílio. São iniciativas como essa que vamos fazer.”

Qual os planos para a criação do banco digital?

A criação do banco digital está em discussão com o Banco Central (BC) que pode demorar um período de 6 meses. Não foi definido uma restrição de aporte de capital. 

Guimarães disse que “Não há nenhum banco digital no Brasil que vá pagar 35 milhões de pessoas todos os meses, dos benefícios sociais. Além disso, são pelo menos 10 milhões de pessoas no microcrédito.”, explicou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.