Corretoras e administradoras se beneficiaram com a queda da Taxa Selic, afirma IBGE

A queda da taxa básica de juros, a Selic, para o menor nível histórico acabou por incentivar a migração de investidores para aplicações mais atraentes e beneficiou a receita de corretoras de títulos e administradoras de bolsas de valores, conforme divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Corretoras e administradoras se beneficiaram com a queda da Taxa Selic, afirma IBGE (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

Segundo o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, Rodrigo Lobo, esse tipo de serviço aparece na pesquisa inserido num amplo grupo chamado de “outros serviços” que cresceu 4,8% no mês de setembro deste ano, comparado aos três meses anteriores. Tal grupo acumula alta de 6,1% em 2020, frente ao mesmo período do ano passado e o único que superou o nível pré-pandemia.

Em setembro, o grupo também alcançou o maior patamar desde outubro de 2014.

“As empresas nesse segmento vêm obtendo incrementos de receita desde o segundo semestre de 2018 em função da redução consistente da taxa Selic, que reduziu os ganhos com a poupança e levou os agentes econômicos a buscarem alternativas mais atraentes de investimentos”, explicou Lobo.

O gerente de pesquisa acrescentou que, empresas que atuam como intermediárias desse processo de captação de recursos, como as corretoras e as administradoras, têm obtido ganhos expressivos de receita por conta da maior procura dos investidores por ativos de maior rentabilidade.

Novos cortes na taxa Selic em 2021?

Atualmente, o Brasil encontra-se no menor patamar histórico da Taxa Selic, de 2%. Esta medida do Banco Central (BC) permite maior estímulo na atividade nacional em meio à crise existente. A empresa de gestão de recursos, Persevera Asset Management acredita que a taxa básica de juros não deve ter alta por parte do BC e que, pode inclusive registrar queda no ano que vem.

“Depois que ficar mais claro que, passado o período atual de recuperação mais forte da atividade, o Brasil vai voltar a patinar, o BC vai ter que mudar o plano de voo. Não vemos um crescimento de mais de 2,5% em 2021 e esperamos uma inflação em torno de 2,5%”, relata a empresa.

AvatarGuilherme Moreira
Guilherme Moreira é formado em Criação e Produção Audiovisual pelo CBM (Centro Universitário Barão de Mauá). Atuou como roteirista, produtor e editor do SBT interior e na redação de blogs e sites informativos. Atualmente, trabalha como social media e redator do portal FDR. |  Instagram @guimemoreira