Deputado sugere liberar FGTS para gastos com itens de educação; conheça o projeto

Um texto em análise na Câmara dos Deputados, altera a Lei 8.036/90, que regulamenta o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Hoje, essa lei permite o uso dos recursos nos casos de demissão sem justa causa, doenças graves, aposentadorias ou para a aquisição de casa própria.

Deputado sugere liberar FGTS para gastos com itens de educação; conheça o projeto
Deputado sugere liberar FGTS para gastos com itens de educação; conheça o projeto (Foto: FDR)

O deputado Deuzinho Filho (Republicanos-CE), que é o autor do projeto, alega que o avanço do novo coronavírus no país provocou um efeito devastador no mercado de trabalho.

As medidas de distanciamento social impostas para se tentar limitar o avanço da doença também têm produzido o aumento do desemprego devido ao fechamento do comércio, setor de serviços, aviação, turismo, construção civil, veículos e indústrias”, afirma.

O projeto de lei sugerido pelo deputado, permite que o trabalhador faça o saque dos valores acumulados na sua conta do FGTS para que possa pagar as despesas com educação.

De acordo com o texto, que está tramitando na Câmara, esses recursos podem ser usados para:

  • Pagamento de mensalidades em fase de educação da creche;
  • Pagamento de mensalidades até a pós-graduação;
  • Compra do material escolar, incluindo: uniforme, mochila, caderno, livros, apostilas.

Outras formas de usar 

Foi permitido pela Justiça o direito dos trabalhadores usarem o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para amenizar o saldo devedor de um financiamento imobiliário, mesmo que diferente do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

A Caixa Econômica que estava fazendo o financiamento só deixava disponível o Fundo para o sistema SFH. 

O caso seguiu para segunda instância, e a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) aprovou.

O Juiz Federal e relator Ilan Presser, colocou em evidência a Lei que dispõe o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

No art. 20, especificando as situações em que o trabalhador poderá fazer a  movimentação do saldo de sua conta vinculada ao FGTS, “não se verificando, na referida legislação, a existência de nenhuma vedação à utilização desses recursos para a quitação de prestações de financiamento imobiliário fora do âmbito do SFH”.

Ele ainda destacou que no Decreto Regulamentador nº99.684, do dia 8 de novembro de 1990, autoriza que o saldo do FGTS possa ser usado para realizar o pagamento total ou parcial para a compra de moradia própria.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA