Bolsa Família: Quanto posso receber de benefício fora do auxílio emergencial?

Os beneficiários do Bolsa Família estão recebendo o auxílio emergencial, mas em dezembro o governo vai finalizar os pagamentos. Sendo assim, esse grupo volta a receber o valor do benefício normal.

publicidade
Bolsa Família: Quanto posso receber de benefício fora do auxílio emergencial?
Bolsa Família: Quanto posso receber de benefício fora do auxílio emergencial? (Foto: FDR)
publicidade

O programa Bolsa Família foi criado no ano de 2003, pelo ex-presidente Lula, com a junção de outros benefícios. 

A ideia era realizar transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e extrema pobreza no país. 

O benefício é pago para famílias que possuem crianças de 0 a 17 anos que possuam renda per capita entre R$89 até R$178.

O valor pago é de R$89,00 para cada beneficiário e as famílias podem acumular cerca de 5 benefícios adicionais de R$41,00, podendo chegar a R$205. No país cerca de 13,9 famílias são atendidas pelo programa.

Esses benefícios adicionais de R$41,00 são correspondentes a: gestantes, bebês de até 6 meses, crianças de até 6 anos, adolescentes de até 17 anos. 

Em resumo, a partir de 2021, quando o valor do auxílio emergencial de R$300 a R$600, ou de R$600 a R$1.200 para mães solteiras for finalizado, os inscritos no BF voltam a sacar o salário comum.

Como sacar?

Para sacar, é necessário que o beneficiário tenha em mãos o seu cartão cidadão e a senha. Caso não tenha o cartão, o beneficiário deve informar no atendimento da Caixa Econômica, o seu NIS e estar com carteira de identidade e CPF.

É possível que o beneficiário realize a consulta de seu saldo, ele pode ligar no telefone 0800 726 02 07, digitar 2 e novamente 2. Logo após é preciso informar o número do NIS. 

Aqueles beneficiários que não realizaram o saque de seu benefício, ainda têm tempo. Isso, pois o prazo para retirar o depósito da conta que era de 90 dias, está temporariamente aberto, sem limite durante a pandemia. 

Caso os beneficiários não realizem o saque o governo realiza o bloqueio do benefício.

Depois, para que seja feito o desbloqueio o responsável deverá justificar a não realização da retirada.

O governo ainda irá analisar a justificativa para decidir se o benefício será disponibilizado novamente para a família.

Se for, a família poderá sacar todo o dinheiro que estava preso na conta durante o tempo que não recebeu no período em que o benefício ficou bloqueado.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.