14° salário do INSS tornou-se projeto de emergência no Senado; veja quem vai se beneficiar

Nesta quarta-feira (23), o senador Paulo Paim (PT-RS) em pronunciamento, pediu que a aprovação do projeto de Lei 3.657/2020 seja feita com urgência. Esse projeto cria o 14º salário para beneficiários do INSS.

publicidade
14° salário do INSS tornou-se projeto de emergência no Senado; veja quem vai se beneficiar
14° salário do INSS tornou-se projeto de emergência no Senado; veja quem vai se beneficiar (Foto: Google)
publicidade

A proposta permite que os aposentados e pensionistas do INSS recebam um 14º salário emergencial neste ano, por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. 

O projeto de lei é de iniciativa popular, mas foi acatado pelo senador que está como relator do projeto na Casa.

De acordo com Paim, são cerca de 35 milhões de brasileiros aposentados e pensionistas do INSS. Destes, 80% ganham só um salário mínimo mensal. 

Na argumentação de Paim, para a aprovação do texto “a pandemia está fazendo um enorme estrago na economia e na vida das pessoas menos favorecidas”. Sendo assim, a concessão do 14º salário emergencial, reiterou “é uma questão humanitária”.

O senador acrescentou ainda que “O 14º salário, além de socorrer os aposentados, os que estão no grupo de risco, também irá servir como injeção de recursos na economia. Dentre os municípios brasileiros, 64% dependem da renda dos beneficiários do INSS. O 14º salário vai representar algo em torno de R$ 42 bilhões em dinheiro novo no comércio local, nos municípios, gerando emprego e renda, gerando imposto, melhorando a qualidade de vida, movimentando a economia local e fortalecendo a vida de todos. Teremos mais empregos para colaborar com a retomada do crescimento do país”, diz o senador.

O advogado Sandro Gonçalves é o autor da ideia, e acredita que a antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus que aconteceu em abril e maio, socorreu os segurados no começo da crise.

Porém, ele enxerga que em dezembro esses grupos vão ficar sem o benefício, o que pode causar consequências ainda maiores para eles.

A ideia do projeto foi apresentada no dia 29 de maio e no da 6 de junho, já tinha conseguido 20 mil apoiadores.

Para conseguir esse apoio o advogado criador do projeto divulgou sua ideia pelas redes sociais, com a ajuda de um grupo de influenciadores que faz parte. As divulgações foram realizadas ainda em vídeos e transmissões ao vivo na internet.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.