AGU recorre sobre decisão da Justiça de suspender perícia médica no INSS

Nesta quarta-feira (23), a Advocacia Geral da União recorreu da decisão da Justiça Federal que suspendia o retorno dos médicos peritos do INSS ao seu trabalho presencial, e também suspendeu o corte do ponto daqueles que não retornarem.

publicidade
AGU recorre sobre decisão da Justiça de suspender perícia médica no INSS
AGU recorre sobre decisão da Justiça de suspender perícia médica no INSS (Foto: Google)
publicidade

Essa decisão foi do juiz federal Márcio de França de Moreira, do Distrito Federal, que verificou a ação que foi movida pela Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP). 

No dia 18, o governo tinha determinado que os peritos voltassem ao trabalho presencial. 

A associação não quer retomar as atividades, por alegar que as agências não estão cumprindo as especificações sanitárias para que voltem a ser realizados os atendimentos presenciais.

O argumento é que “A decisão agravada [que suspendeu o retorno e o corte de ponto], além de não atender ao requisito da probabilidade do direito, causa irreparável prejuízo à União, ao INSS e a centenas de milhares de beneficiários da Previdência Social, parcela vulnerável da sociedade”.

De acordo com o órgão, mesmo que os documentos “comprovam o rigoroso cuidado que precede a reabertura de cada agência do INSS” considerada apta, e os “graves prejuízos causados pela não realização das perícias, a fim de demonstrar que é de todo infundada a pretensão da associação”.

O documento contém a assinatura da advogada da União Júlia Thiebault Sacramento e do procurador federal Ricardo Mendes Ferreira.

O governo informou que as perícias tinham sido retomadas em 57 das 100 agências abertas no país.

De acordo com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, nesta segunda-feira (21), 149 peritos do INSS retornaram ao trabalho.

A secretaria informou ainda que foram feitas 1.376 perícias presenciais. Cerca de 486 peritos deveriam ter retornado ao trabalho na segunda-feira (21).

A Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) divulgou uma lista em que aparecem 87 agências que são consideradas aprovadas para o retorno dos peritos médicos. 

De acordo com a associação, essas agências com restrição vão voltar a atender com algumas pendência que não impede o retorno do público de imediato, como consultório interditado ou falta de equipamentos.

Até agora, os segurados estavam enviando por meio do Meu INSS o atestado médico como forma de perícia.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.