Bolsa Família: NIS finais 3 ao 7 recebem R$300 esta semana

Parte dos beneficiários do programa Bolsa Família começam a receber a partir desta segunda-feira (21) a primeira das quatro parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial residual. O benefício foi estendido pelo Governo Federal até dezembro

publicidade
Bolsa Família: NIS final 3 ao 7 recebem R$300 esta semana
Bolsa Família: NIS final 3 ao 7 recebem R$300 esta semana (Imagem: reprodução Google)
publicidade

O pagamento dessa parcela para quem recebe o Bolsa Família segue até 30 de setembro, seguindo o número final do Número de Identificação Social (NIS).

Esta semana, de 21 a 25 de setembro, recebem os beneficiários com o NIS finalizado entre 3 e 7

Confira a seguir o calendário completo de pagamentos: 

  • 17 de setembro – NIS de final 1 
  • 18 de setembro – NIS de final 2
  • 21 de setembro – NIS de final 3
  • 22 de setembro – NIS de final 4
  • 23 de setembro – NIS de final 5
  • 24 de setembro – NIS de final 6
  • 25 de setembro – NIS de final 7
  • 28 de setembro – NIS de final 8
  • 29 de setembro – NIS de final 9
  • 30 de setembro – NIS de final 0

Os beneficiários do programa Bolsa Família podem fazer o saque por meio do cartão do Programa Bolsa Família, Cartão Cidadão ou por crédito em conta da Caixa.

Até o momento, ainda não há previsão de quando as parcelas do auxílio emergencial residual serão pagas aos demais grupos. 

Nessa rodada, 3 milhões de inscritos no Bolsa Família foram exclusos do auxílio. Isso porque, recebem benefício igual ou superior a R$300.

Como receber o auxílio?

Aqueles que já receberam o auxílio não precisam solicitar o pagamento dessas novas parcelas. Elas serão pagas de forma independente, para isso basta o beneficiários se encaixar nos critérios

Reavaliação

A realização dos pagamentos das novas parcelas do auxílio estão condicionadas a reavaliação dos beneficiários aprovados, isso deve acontecer ao longo dos pagamentos. Os critérios serão verificados mensalmente.

Confira o público-alvo que foi barrado do auxílio

  • Conseguiu emprego formal depois de receber o Auxílio Emergencial
  • Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família)
  • Possuí uma renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos
  • Mora no exterior
  • Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  • Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais
  • No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil
  • Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima
  • Esteja preso em regime fechado
  • Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes
  • Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal

Ajuda do governo 

O auxílio foi criado pelo governo para ajudar os brasileiros informais nesse período de pandemia causado pelo novo coronavírus.

Inicialmente, seriam pagas apenas 3 parcelas de R$600, mas depois foi prorrogado por mais 2 parcelas e por último até o final do ano.

O valor para as mães chefes de família valem o dobro, sendo assim R$1.200. Nas novas parcelas a cota dupla equivale a R$600.

AvatarLucas Santos
Lucas Santos é jornalista graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Possui experiência em assessoria de imprensa na Prefeitura Municipal de Cariacica e redação de notícias para o portal FDR. | Instagram @lucas.sanp | LinkedIn @lucassantospto