PONTOS CHAVES

  • O auxílio emergencial foi prorrogado por mais 4 parcelas;
  • O pagamento será realizado primeiro para os beneficiários do Bolsa Família;
  • O pagamento vai ser feito entre 17 a 30 de setembro.

A partir de quinta-feira (17), o governo vai começar a realizar o pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família, de acordo com o número do NIS. Os depósitos são feitos sempre nos últimos dez dias do mês.

publicidade
Sexta parcela do auxílio emergencial começa pagamento de R$300 na quinta-feira (17)
Sexta parcela do auxílio emergencial começa pagamento de R$300 na quinta-feira (17)(Imagem: Reprodução Google)
publicidade

O pagamento vai começar a ser realizado a partir do dia 17 e vai até 30 de setembro. O valor pago será de R$300 reais para essa prorrogação do pagamento. Mães chefes de família continuam recebendo o dobro, logo, R$600. 

Calendário do Bolsa Família 

  • 17 de setembro – NIS de final 1 
  • 18 de setembro – NIS de final 2 
  • 21 de setembro – NIS de final 3 
  • 22 de setembro – NIS de final 4 
  • 23 de setembro – NIS de final 5 
  • 24 de setembro – NIS de final 6 
  • 25 de setembro – NIS de final 7 
  • 28 de setembro – NIS de final 8 
  • 29 de setembro – NIS de final 9 
  • 30 de setembro – NIS de final 0

O recebimento do auxílio por esses beneficiários será realizado da mesma forma como é feita pelo Bolsa Família, isto é, com o saque sendo autorizado no mesmo dia do depósito.

Quem não vai receber?

Sexta parcela do auxílio emergencial começa pagamento de R$300 na quinta-feira (17)
Sexta parcela do auxílio emergencial começa pagamento de R$300 na quinta-feira (17) (Foto: FDR)
  1. Conseguiu emprego formal depois de receber o Auxílio Emergencial
  2. Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família)
  3. Possuí uma renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos
  4. Mora no exterior
  5. Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  6. Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais
  7. No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil
  8. Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima
  9. Esteja preso em regime fechado
  10. Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes
  11. Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal

Como receber?

Aqueles que já recebem o auxílio emergencial normalmente, não precisam solicitar o pagamento dessas novas parcelas. 

Elas serão pagas de forma independente, para isso basta o beneficiários se encaixar nos critérios

Reavaliação

A realização dos pagamentos das novas parcelas do auxílio estão condicionadas a reavaliação dos beneficiários aprovados, isso deve acontecer ao longo dos pagamentos. Os critérios serão verificados mensalmente.

Auxílio emergencial 

O auxílio foi criado pelo governo para ajudar os brasileiros informais nesse período de pandemia causado pelo novo coronavírus.

Inicialmente, seriam pagas apenas 3 parcelas de R$600, mas depois foi prorrogado por mais 2 parcelas e por último até o final do ano.

Outros beneficiários

Para os outros beneficiários, os R$300 são depositados na conta poupança social da Caixa, e inicialmente só pode ser usado para pagar contas e fazer compras por meio do cartão virtual. 

Os saques e transferências só podem ser realizados em média 30 dias depois do depósito na poupança. 

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxilio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Os aprovados nos outros lotes, os pagamentos seguem até 13 de novembro. Esses beneficiários que não fazem parte do Bolsa família, e vão receber por meio do Cartão de débito virtual.

Com ele é possível usar os R$600 para realizar a compra pela internet em mais de mil sites e aplicativos, além de poder pagar contas de água e luz.

Para solicitar o cartão é preciso ter o aplicativo da Caixa tem. Após acessar, na tela inicial terá um ícone denominado “Cartão de Débito Virtual” e clicar, após isso, vai abrir uma página como se fosse uma troca de mensagem.

É só clicar na opção “Usar agora meu Cartão de Débito Virtual”.O aplicativo vai solicitar a senha de acesso que você cadastrou para entrar no aplicativo.

Ao informar a senha, aparecerá uma imagem com as informações do seu cartão, como número, nome, validade e código de segurança. Basta digitar corretamente conforme orientação da loja.

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.