Benefício do INSS foi negado? Veja principal motivo para isso acontecer

Os brasileiros estão enfrentando dificuldades para dar entrada nos benefícios do INSS, como aposentadoria e auxílio-doença. Os problemas ficaram ainda mais acentuado por conta da pandemia do novo coronavírus. 

publicidade

A fila de pedidos ficou ainda maior e pode ser um obstáculo para aqueles trabalhadores que não estão atentos para a documentação correta, isso pois eles vão ter de esperar mais para que seu benefício seja avaliado. 

Os especialistas afirmam que a documentação incompleta no momento da solicitação é um dos principais motivos para que o acesso ao benefício seja demorado.

O INSS divulgou dados que apontaram uma alta de 15,4% na recusa de pedidos em maio, comparando com o mês de abril.

publicidade

Os pedidos aceitos tiveram uma queda de 25%, já de maio para junho houve um aumento nas concessões e nas recusas de 27,2% e 17,7%.

Nos meses entre janeiro e março, cerca de 1,2 milhão de pedidos foram negados, esta foi a primeira vez no período de 10 anos que a quantidade de benefícios recusados foi maior que o de concessões.

Os segurados devem estar atentos sobre os documentos que são entregues com as solicitações de aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte e auxílio-acidente. 

Hoje, são cerca de 1,56 milhão de pedidos de benefícios previdenciários que estão na fila esperando pela análise do INSS. 

Deste montante, 694 mil estão a espera da primeira avaliação da sua solicitação e 867 mil já passaram pela análise e aguardam o segurado cumprir as exigências do órgão para serem pagos.

Outros motivos

Alguns segurados estão fazendo o envio de atestado médico inválido por meio do aplicativo MEU INSS.

publicidade

Esse envio passou a ser permitido após o início do isolamento social, o que impossibilitou a realização presencial da perícia médica.

O atestado enviado precisa estar:

  • Legível e sem rasuras;
  • Com assinatura do profissional emitente e o carimbo de identificação, com registro do respectivo Conselho de Classe ou Registro Único do Ministério da Saúde (RMS);
  • Conter as informações sobre a doença ou Código Internacional de Doenças (CID);
  • Possuir o período estimado de repouso necessário.
publicidade

Como enviar o atestado pelo aplicativo?

1) Acesse o Meu INSS, pelo gov.br/meuinss ou pelo aplicativo e selecione a opção “Agendar Perícia”.

2) Selecione a opção “Perícia Inicial” e, em seguida, clique em “Selecionar”.

3) Na pergunta “Você possui atestado médico”, selecione “SIM” e clique em continuar.

publicidade

4) Preencha as informações pedidas e clique em “Avançar”.

5) Em “Anexos”, clique no sinal + para inserir o documento.

6) Na tela que se abre, clique em “Anexar”.

publicidade

7) Agora basta selecionar o documento (seu atestado médico) que você quer anexar, clicar em “Abrir” e, em seguida, em “Enviar”.

8) Depois, selecione a agência do INSS desejada e clique em “Avançar”.

OBS: Essa será a agência onde o benefício será mantido. O INSS ressalta que o atendimento nas agências está suspenso temporariamente.

publicidade

9) Marque a opção “Declaro que li e concordo com as informações acima” e clique em “Avançar”.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

10) Se desejar, clique em “Gerar Comprovante” para que você o salve em seu computador ou celular.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.