Conselho do FGTS prorroga por 120 dias pagamentos de financiamento imobiliário popular

Financiamentos imobiliários pelo FGTS ganham mais 120 dias de isenção. Mediante a pandemia do novo coronavírus, o Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço aprovou, nesta terça-feira (08), um documento que suspende os pagamentos de empréstimos de habitação popular. A decisão já tinha sido avaliada posteriormente, mas passou a ter validade legal a partir desta semana.  

Conselho do FGTS prorroga por 120 dias pagamentos de financiamento imobiliário popular (Imagem: Reprodução Google)
Conselho do FGTS prorroga por 120 dias pagamentos de financiamento imobiliário popular (Imagem: Reprodução Google)

Cientes de que haveria um alto índice de inadimplentes no que diz respeito ao pagamento dos financiamentos imobiliários pelo FGTS, a administração do fundo deu início a uma série de negociações que visasse reduzir os prejuízos para as instituições financeiras. Dessa forma, as parcelas que deveriam estar sendo pagas para quitar as moradias, foram temporariamente paralisadas.  

Inicialmente, a decisão de suspensão nas cobranças tinha sido destinada apenas aos bancos e não incluía o FGTS. No entanto, a modalidade abarca grande parte dos pagamentos de financiamentos e por isso passou a ser inclusa na proposta.

Ao longo desses 120 dias de pausa, até R$ 3 bilhões serão interrompidos para aqueles que assinaram um contrato imobiliário. Nesse grupo, inclui-se principalmente as pessoas das faixas 1,5 e 2 do programa Minha Casa Minha Vida, atual Casa Verde e Amarela.  

Prazo da suspensão dos pagamentos via FGTS 

É importante ressaltar que a não obrigatoriedade do pagamento só será válido a partir do mês de setembro. Nesse caso, o contratante terá até o dia 31 de dezembro para quitar todo o valor. Durante esse período, o atraso não poderá ser retroativo mediante a cobranças extras.  

Já para aqueles devedores de setembro para trás, terão que custear com as taxas somatórias e ainda ficam sujeitos a ter o nome publicado em bancos de dividas como o SPC, Serasa, entre outros.  

Sobre o financiamento imobiliário 

Atualmente, a proposta vem sendo vista como uma ótima oportunidade para quem deseja investir. Uma vez em que as taxas de juros representam a menor cobrança da história, a aquisição de um imóvel para venda futura ou contrato de locação é considerada uma opção segura para aqueles com recursos retidos que não obtém grande experiência no mercado de ações. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.