Renda Brasil depende de aprovação do Congresso para organizar gastos

Para que o Renda Brasil seja aprovado, o Congresso Nacional precisa aceitar o plano de cortes de gastos. Após essa etapa será possível definir o valor a ser pago no novo programa que irá substituir o Bolsa Família.

Renda Brasil depende de aprovação do Congresso para organizar gastos
Renda Brasil depende de aprovação do Congresso para organizar gastos (Imagem: Montagem/FDR)

O valor do Renda Brasil deve ser definido após o Congresso Nacional aprovar os cortes de gastos. Os cortes devem ser de programas já existentes e pela desvinculação no Orçamento da União, com isso, será aberto espaço para a criação do novo programa.

Renda Brasil

O Renda Brasil será o programa social criado pelo governo do atual Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), com o intuito de substituir o programa Bolsa Família feito durante o governo do PT.

A ideia do governo é unir o Bolsa Família, abono salarial, seguro-defeso e o salário família. Dessa maneira, a expectativa é que seja pago um valor superior ao recebido pelo programa anterior.

Além disso, a expectativa é que o novo programa comece a valer em janeiro de 2021, após o término do Auxílio Emergencial pago até dezembro de 2020.

Com o Renda Brasil mais brasileiros serão contemplados, a estimativa é que sejam atendidos 8 milhões de pessoas.

Valor do Renda Brasil

A expectativa é que o valor do Renda Brasil seja entre R$ 250 e R$ 300, bem acima da média de R$ 190 pagos atualmente. A ideia é criar uma marca para o governo de Bolsonaro e acabar com os programas atrelados as gestões petistas.

O economista e Ministro da Economia, Paulo Guedes acredita que o valor deve estar entre R$ 240,00 a R$ 250,00, porém o salário só pode ser definido ou confirmado após a aprovação dos cortes de gastos pelo Congresso Nacional.

Linha de corte

Com o novo programa do governo de Bolsonaro a linha de corte para iniciar no sistema será aumentada, mudando até R$ 178 por pessoa para até R$ 250.

Dessa maneira, a quantidade de beneficiados aumentará de 14, 2 milhões para mais de 20 milhões de famílias.

Além disso, há uma proposta de que as famílias com filhos que passarem de ano letivo, e que tenham bom rendimento escolar ou estejam matriculados em curso profissionalizante, tenham um bônus no final do ano.

Glaucia AlvesGlaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 7 anos. Esse ano começou a trabalhar como redatora e como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR e realiza consultoria de redação on-line.