Aposentadoria do INSS: Veja em quanto tempo pode pedir reajuste no valor

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) terão o prazo de dez anos para pedir a revisão do seu benefício na Justiça, sem exceções.

Aposentadoria do INSS: Veja em quanto tempo pode pedir reajuste no valor
Aposentadoria do INSS: Veja em quanto tempo pode pedir reajuste no valor (Imagem: Reprodução/Google)

Essa decisão é do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Antes disso, o Supremo Tribunal Federal (STF) já tinha definido essa questão, mas alguns dos segurados estão tentando brechas jurídicas para que possam conseguir valores maiores.

De acordo com a diretora do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Gisele Kravchychyn, uma dessas brechas é quando a Previdência Social não fazia a análise de documentos ou informações na solicitação do benefício feita administrativamente.

“Teoricamente, o INSS tem de fazer os cálculos e conceder o que for melhor ao segurado.Mas,às vezes, erra. Se a pessoa tinha direito a uma aposentadoria por idade ou por invalidez,é preciso trabalhar com as duas simulações. Nem sempre o órgão faz isso”, disse.

Isso serve para o caso das pessoas que possuem processos trabalhistas concluídos depois de dez anos da concessão dos benefícios.

Segundo o advogado especialista em Direito Previdenciário, Rodolfo Ramer, essa mudança faz com que o resultado da ação, se for vencida pelo aposentado, não possa ser utilizada em pedido de revisão no Poder Judiciário devido à nova decisão do STJ.

Esse prazo de cadência é o período em que o direito deixa de existir. Para as ações de revisão de benefício do INSS, esse prazo será de dez anos contando a partir do primeiro dia do mês, depois do primeiro pagamento do benefício.

Além disso, é preciso ressaltar que esse prazo de decadência serve para a realização de contestações no cálculo inicial do benefício.

O período foi definido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), colocou fim as situações que abriram brechas para contestação.

Ramer acrescentou que “Tem de haver um prazo. Caso contrário, você cria uma insegurança. A lei delimita prazos tanto para proteger o Poder Público quanto a outra parte”.

O advogado previdenciarista, Cleiton Leal Dias Júnior disse que na prática o período pode ser ainda menor.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.