Bolsa Família e auxílio emergencial receberão empréstimo de R$1 bilhão do BID

O BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) comunicou na manhã de ontem, 12 de agosto, aprovou um empréstimo de US$1 bilhão para o governo do Brasil custear o auxílio emergencial, o programa de manutenção de empregos e o Bolsa Família.

Bolsa Família e auxílio emergencial receberão empréstimo de R$1 bilhão do BID
Bolsa Família e auxílio emergencial receberão empréstimo de R$1 bilhão do BID (Imagem FDR)

Segundo o BID, US$400 milhões devem ser empregados no auxílio emergencial, é estimado que isso seja suficiente para cobrir o pagamento de 1 milhão de pessoas por trimestre. Já o Bolsa Família deve ficar com US$200 milhões para atender 475 mil famílias todos os anos.

“O intuito é unir forças para que o Brasil responda à COVID-19 de forma eficaz, mitigando os efeitos negativos da pandemia”, explicou o BID em nota.

O restante do empréstimo irá para o programa que autorizou a redução de salários e a suspensão dos contratos de trabalho com o objetivo de evitar demissões em massa, durante a pandemia do coronavírus. O banco projeta que 1 milhão de trabalhadores serão beneficiados.

“Segundo estudos, cerca de 40% dos empregos no Brasil (37 milhões de pessoas) estão concentrados em setores produtivos vulneráveis à pandemia. Garantir a renda para pessoas pobres e vulneráveis em meio à crise do COVID-19 é um dos caminhos para ajudar as famílias a manter níveis mínimos de bem-estar”.

Este empréstimo possui um prazo de amortização de 25 anos, com um período de carência de cinco anos e meio. A taxa de juros do empréstimo é baseada na London Interbank Offered Rate (Libor), uma taxa que muda todos os dias e é amplamente utilizada em empréstimos entre bancos internacionais.

Auxílio emergencial poderá ser prorrogado até 2021

O auxilio emergencial do governo pode ter seu período de pagamento ampliado até março do ano que vem. Este prolongamento da ajuda vem sendo estudada pra uma ala do governo. O que se sabe até o momento é que o valor de R$600 cairá para um valor entre R$200 e R$300.

Os pagamentos do auxílio emergencial estão garantidos até este mês, e o governo esta avaliando possíveis danos a popularidade do presidente Jair Bolsonaro, no caso da ajuda acabar e a população não encontrar uma alternativa.

Como não existe uma clareza a respeito de até quando a pandemia vai perdurar, os debates para decidir os detalhes da extensão do auxílio já estão acontecendo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.