Ainda não saquei o auxílio emergencial, vou perder meu dinheiro?

O auxílio emergencial tem a validade de 90 dias após o seu depósito para que seja usado na compra de produtos ou no pagamento de contas, caso isso não aconteça o valor volta para o governo. Quem recebe o benefício do Bolsa Família tem um prazo maior.

Ainda não saquei o auxílio emergencial, vou perder meu dinheiro?
Ainda não saquei o auxílio emergencial, vou perder meu dinheiro? (Imagem: Montagem/FDR)

O auxílio emergencial é um programa criado pelo Governo Federal e pago, desde abril, pela Caixa Econômica Federal durante o período da pandemia.

É disponibilizado para os beneficiários o valor de R$ 600,00. A princípio, a proposta era pagar apenas três meses, porém com a continuação do isolamento social esse prazo foi estendido para mais dois meses.

O dinheiro depositado pela Caixa tem um tempo para ser usado, sendo assim quem receber o auxílio tem no máximo 90 dias para usufruir desse dinheiro.

O beneficiário pode sacar, transferir ou utilizar o valor depositado na Poupança Social Digital da Caixa.

Caso a Poupança Social Digital da Caixa não apresente nenhuma movimentação esse dinheiro é devolvido ao Governo Federal e, sim, a pessoa não terá mais direito ao dinheiro. Essa ação não se aplica aos beneficiários do Bolsa Família.

Qual é o prazo do Bolsa Família para receber o auxílio emergencial?

Quem recebe o Bolsa Família pode fazer o saque do auxílio emergencial até o fim do período de pandemia do Covid-19, já que quem recebe faz parte do grupo mais vulnerável da população.

Quem tem direito de receber o auxílio emergencial?

O auxílio emergencial foi criado para esse período de pandemia do Covid-19 e é destinado ao trabalhador informal, autônomo, microempreendedor individual (MEI) ou desempregado que comprove não ter nenhum emprego formal e que esteja dentro dos seguintes critérios:

  • Ser maior de 18 anos ou ser mãe adolescente;
  • Não ser beneficiário;
  • Ter uma renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou;
  • A renda familiar mensal per capita (por pessoa) ser de até meio salário mínimo (R$ 522,50).

O valor pago tem o intuito de proteger os brasileiros durante esse período de crise na saúde e na economia, para que sejam capazes de ter o alimento e que consigam pagar as despesas, como aluguel, luz, água e gás, por exemplo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.