Rendimento da poupança diminuí após novo corte da taxa Selic

A rentabilidade da poupança é algo que é costumeiramente discutido. Agora, novo corte da taxa básica de juros (Selic), essa rentabilidade diminuiu ainda mais. Segundo cálculos da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac), a aplicação vai render 0,12% ao mês e 1,4% ao ano.

publicidade
Rendimento da poupança diminuí após novo corte da taxa Selic
Rendimento da poupança diminuí após novo corte da taxa Selic (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Nessa quarta-feira, dia 5, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) completou o nono corte seguido da taxa Selic. O rendimento caiu de 2,25% para 2%.

Desde o ano de 2012, entrou em vigor uma regra que determina que: sempre que a taxa da Selic, estiver abaixo de 8,5%, a correção anual da caderneta de poupança é limitada a um percentual equivalente a 70% dos juros básicos mais a Taxa Referencial (TR, que está em zero desde 2017).

É importante ressaltar que as aplicações na poupança, feitas até o mês de abril de 2012, ficam consideradas como “poupança velha”. Nesse caso, continuam rendendo 6,17% ao ano (0,50% ao mês).

Vamos a um exemplo:

Segundo a Anefac, uma aplicação de R$ 10 mil em 12 meses, ficaria da seguinte forma:

  • Poupança Nova: o rendimento total será de R$ 140, ou seja, o investidor teria o valor de R$ 10.140;
  • Poupança Velha: o rendimento será de R$ 617, então o valor total será de R$ 10.617.

Onde investir com a Selic a 2%?

Com uma taxa de juros tão baixa, surgem muitas dúvidas sobre como e onde investir. Afinal, os investimentos servem para que o rendimento nos permita comprar o que desejamos, um carro, uma casa, fazer uma viagem, etc. Por isso, conheça algumas dicas para fugir desse problema:

  1. Invista por um período maior

Procure evitar títulos que tenham liquidez imediata (ou seja, que se transformem em dinheiro de um dia para o outro, caso dos títulos do Tesouro Selic, alguns tipos de CDB e fundos DI, por exemplo). Busque investimentos que tenham um prazo maior.

  1. Diversifique os investimentos

Não foque todos os seus investimentos em um único lugar. Deixe uma parte em renda fixa e separe uma parcela dos investimentos para comprar ativos de renda variável. Assim você terá mais chances de uma boa rentabilidade.

AvatarAmanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, é também redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, finanças e programas sociais.