Novo crescimento da China anima os investidores mundiais

Nem mesmo uma das maiores pandemias do mundo será capaz de paralisar a evolução econômica da China. Considerado um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, a região divulgou as estatísticas de seu PIB e mostrou um crescimento de 1% para este ano. De acordo com o balanço liberado na última quarta-feira (15), para 2021 a expectativa é que seu produto interno bruto cresça em 8,2%.  

Lista de ações que podem subir com novo crescimento da China (Imagem: Reprodução - Google)
Novo crescimento da China anima os investidores mundiais (Imagem: Reprodução – Google)

As projeções foram realizadas através do Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com os números, o PIB da China apresentou uma alta de 11,5% somente nesse primeiro trimestre, ficando 3,2% mais evoluído em comparação ao ano passado.

Segundo os analistas, o principal motivo de tamanha recuperação foi o fomento do minério de ferro, utilizado como principal estratégia para minimizar os efeitos econômicos da pandemia.  

China se recupera do covid-19  

Depois de passar por um período intenso de isolamento social, o governo da China desenvolveu um projeto, intitulado de Nova Infraestrutura, tendo como base atividades ligadas a área de tecnologia 5G, data centers e inteligência artificial.  

Além disso, antecipou sua recuperação financeira por meio da realização dos programas de sistemas de transportes por meio de trilhos.

Dessa forma, somente em junho, a importação de minério de ferro foi superior a 101 milhões de toneladas, o que valida um crescimento de 35,25% na comparação anual. 

Por fim, as siderúrgicas também colaboraram para o resultado das estatísticas positivas, fazendo com que o país permanecesse sendo considerado o maior produtor mundial de aço. 

“Se a China consome o aço que produz e sobra pouco excedente para exportação, o preço sobe, o que favorece CSNUsiminas e Gerdau, explicou Bruno Lima, analista de renda variável da Exame Research. 

Lima reforça ainda que, com a produção do aço o governo chinês precisará ampliar também seus projetos ferroviários ou baixar o valor do produto. “Em algum momento, eles não vão precisar construir ferrovia ou ponte porque já vão ter feito. Então, vão esperar o preço cair para retomar o ciclo”. 

“Com a melhora de condição de vida na China, há uma mudança de patamar do consumo de carne, que ainda tem bastante espaço para crescer”, finalizou o especialista.  

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Novo crescimento da China anima os investidores mundiais

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA