Novas chances para ter acesso ao auxílio emergencial. Na última semana, a Caixa Econômica Federal informou que estará concedendo uma última oportunidade para quem teve o benefício negado. De acordo com a instituição, o serviço será feito para um grupo específico e permitirá apenas a revisão dos dados já cadastrados. Entenda como fazer a contestação do benefício no texto abaixo.  

publicidade
Prazo de contestação do pedido de auxílio emergencial pode ser revogado; veja como (Imagem: Reprodução - Google)
Prazo de contestação do pedido de auxílio emergencial pode ser revogado; veja como (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Mediante a quantidade de cadastros não aprovados e queixas sobre a invalidação dos mesmos, a Caixa precisou realizar um novo processo de revisão para seguir com o pagamento do auxílio emergencial.

Desse modo, as pessoas que já tinham feito a solicitação pelo site ou aplicativo terão uma nova oportunidade de revisar os cadastros.  

Contestação do auxílio emergencial atenderá grupo específico  

Em parceria com o ministério da cidadania, o banco público afirmou que cada usuário (com o pagamento negado) poderá fazer uma única e nova solicitação de correção.

No entanto, é preciso ficar atento, pois nem todos terão acesso ao serviço. Ele deverá ser realizado apenas para quem recebeu as seguintes mensagens:  

  • Cidadão(ã) recebe benefício previdenciário ou assistencial;  
  • Cidadão(ã) com renda familiar mensal superior a meio salário mínimo por pessoa e a três salários mínimos no total  
  • Cidadão(ã) é servidor(a) público(a) – RPPS/Siape  
  • Cidadão(ã) recebe seguro-desemprego ou seguro-defeso [pescadores]  
  • Cidadão(ã) possui emprego formal Dados inconclusivos [nesse caso, só pode fazer nova solicitação] 

Ainda de acordo com a Caixa, a decisão de permitir um recadastramento foi tomada mediante a necessidade de corrigir informações concedidas na hora do cadastro inicial.

Muitos brasileiros erraram dados como o número de documentos, endereço, entre outros. Dessa forma, o pagamento do coronavoucher ficou impossibilitado.  

Com a contestação, o cidadão poderá informar quais pontos desconta no que diz respeito às exigências do governo para a liberação do benefício e comprovar que se enquadra em todas elas.  

Quem recebeu uma das mensagens acima, a Caixa informou que devem apresentar uma nova solicitação ou contestação pelo site ou pelo aplicativo. No que diz respeito ao prazo final para esse pedido, nem o governo nem a instituição afirmou o tempo limite.  

Somente na última quinta-feira (9), foram revistos mais de 1,3 milhão de cadastros e ainda há mais de 800 mil em análise.  

Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.