Novo golpe na praça. Se você está recebendo o auxílio emergencial, é preciso ficar atento aos pagamentos realizados pelo cartão de débito digital do Caixa Tem. Na última semana, beneficiários relataram ter seus valores retirados de suas contas sem consentimento. De acordo com as vítimas, a quantia vinha abatida do pagamento mental, realizado por meio da Caixa Econômica.  

publicidade
Atenção! Golpe do auxílio emergencial rouba R$600 antes do beneficiário ter acesso (Imagem: Reprodução - Google)
Atenção! Golpe do auxílio emergencial rouba R$600 antes do beneficiário ter acesso (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Sara Miranda, de 25 anos, foi umas das seguradas prejudicadas. Em entrevista, a chefe de família informou que, ao receber o depósito de R$ 1.200 (valor duplicado por ser mãe solteira) teve um abatimento imediato, fazendo com que sua conta ficasse mil reais negativada.  

“Eu recebi minha parcela no mês passado e usei o cartão de débito virtual da Caixa. Até então, tudo certinho. Mas depois, no dia 28, teve um estorno de R$ 200, que eu não sei de quê, e o meu saldo foi para R$ 1 mil negativos. Dia 18 deste mês, previa um acerto de débito de R$ 200, aí já me preocupei”, explicou.  

Inicialmente, Sara achou que se tratava de um bug no sistema, mas no mês seguinte viu que seu benefício permanecia descontado. Mediante a situação, ela se dirigiu até uma unidade da Caixa Econômica para tentar reverter o quatro. Até o momento não teve resposta da instituição e segue aguardando uma resolução. 

“Não dá para ficar esperando para resolverem, pois as contas de luz, de água, nada espera. Já estamos no final do mês e para mim, que tenho dois filhos, é desesperador”, conta indignada.  

O mesmo aconteceu com Barbará de Brito, de 22 anos. A estudante também achou que se tratava de um erro do sistema, mas permaneceu com os valores negativados de acordo com os novos depósitos.  

“Foi pouco depois de fazer a retirada da segunda parcela. Quando entrei para ver, a conta estava negativada em R$ 600”, disse. 

Posicionamento da Caixa 

Questionada, a Caixa informou que está ciente da situação e irá procurar resolve-la. De acordo com a instituição, sua equipe está atuando em parceria com órgãos da segurança pública para evitar que tais fraudes aconteçam ao longo do pagamento do auxílio emergencial.  

“Sempre que detectada suspeita de crime, a Polícia Federal é acionada e recebe todas as informações para as investigações e intervenções necessárias”, disse por nota. 

Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.