Renda Brasil: Quem terá direito? E qual valor? Descubra aqui!

O Renda Brasil será o novo programa assistencial do governo e seu objetivo principal é substituir o atual Bolsa Família. Com o novo programa, o governo de Jair Bolsonaro quer criar sua própria marca ao se desvincular de um programa idealizado pelo governo petista. Saiba mais detalhes sobre a novidade.

Renda Brasil: Quem terá direito? E qual valor? Descubra aqui!
Renda Brasil: Quem terá direito? E qual valor? Descubra aqui! (Foto: Google)

O governo pretende que o Renda Brasil comece a operar já no mês de outubro quando, segundo as últimas informações, terminariam os pagamentos do auxílio emergencial.

Valores e público alvo do Renda Brasil

O valor que será pago pelo novo programa pode ficar entre R$250 e R$300 por mês e seria destinado as pessoas já inscritas no Bolsa Família, e também ao público que está recebendo o auxilio emergencial e que foram classificados como “desassistidos e desamparados”.

A equipe econômica está estudando o cadastro do auxílio emergencial para realizar a separação entre os mais de 30 milhões considerados invisíveis, que são empreendedores e que após a crise do coronavírus voltarão a ter uma renda mensal que garanta seu sustento e de sua família. E o grupo que será classificado com “desamparado”.

Para avaliar o novo programa social e também de que forma seria realizado o prolongamento do auxílio emergencial, Bolsonaro tem a intenção de consultar os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Extensão do auxilio emergencial

O governo até o momento planeja estender o pagamento do auxilio emergencial por mais três meses. De início, a equipe econômica sugeriu que fossem pagas mais duas parcelas de R$300, porém Bolsonaro preferiu que a extensão fosse de três meses com pagamentos em junho, agosto e setembro.

Os valores destas parcelas extras seriam decrescentes, começando com R$500 em julho, R$400 em agosto e R$300 em setembro.

A avaliação de Guedes e Bolsonaro é de que não é possível permanecer pagando R$600 por mais meses, mas é importante realizar um “pouso gradual” no pagamento do auxilio para que ele termine no momento em que o Renda Brasil já esteja funcionando.

Auxilio é extremamente mais caro que o Bolsa Família

O Bolsa Família tem um custo anual de cerca de R$ 30 bilhões e é pago a 27 milhões de pessoas. Já o auxílio emergencial custa bem mais, R$ 50 bilhões por mês e está sendo pago a uma média de 50 milhões de pessoas, incluindo os beneficiários do Bolsa Família.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.