Requerimentos para reabrir comércio em SP são enviados por 46 setores da economia

Depois de quase dois meses do fechamento do comércios em diversas cidades brasileiras, motivados pela pandemia do coronavírus, os estados e municípios estão divulgando a flexibilização da quarentena. Para reabrir o comércio em SP, maior metrópole do país, 46 propostas de setores diversos foram enviadas à Prefeitura de São Paulo.

Requerimentos para reabrir comércio em SP são enviados por 46 setores da economia (Reprodução/Internet)
Requerimentos para reabrir comércio em SP são enviados por 46 setores da economia (Reprodução/Internet)

A capital paulista ainda está com alguns serviços e comércios com atendimentos reduzidos para barrar a propagação do vírus. Mas na última segunda-feira (1º) deu início a uma nova fase de quarentena.

As solicitações pedem a volta de diversos setores, incluindo shoppings. Segundo prefeito Bruno Covas, a reabertura só pode ser realizada depois que os projetos de medidas de seguranças enviados sejam analisados pela prefeitura e pela Vigilância Sanitária.

Com este aval, os centros podem realizar a abertura e funcionar de forma legal em toda cidade. Estes envios de propostas estão sendo realizados através do projeto criado pela gestão municipal para recebimento.

Em números, já foram feitas 300 inserções na plataforma destas propostas. Dessas, 46 protocolos foram contabilizados e estão em análise pela área responsável. As informações são do secretário de governo municipal Rubens Rizek.

O secretário, em entrevista ao G1, detalhou que os setores do comércio em SP ainda não foram definidos, mas liberação pode ocorrer antes do dia 15 de junho. O fluxo de análise dos pedidos é de cerca de 15 dias, de acordo com o profissional.

Ainda de acordo com participantes da gestão municipal, estas etapas devem ser observadas por diversas áreas, a exemplo da área sanitária, que, caso aprovado, deve seguir para assinatura do prefeito e pelos setores, para por fim, ser publicada.

O comércio em SP que desejar passar pela análise, precisa criar o seu projeto contendo todas as formas de evitar o contágio do coronavírus, protegendo seus funcionários e clientes. E em seguida, cadastrar no formulário disponível no site da prefeitura.

Os shoppings, por sua vez, devem ser o setor que irão voltar a funcionar em breve, mas com restrições. Prefeito defende que por no máximo 4 horas por dia e com público limitado a 20% da capacidade total. Além disto, praças de alimentação devem permanecer fechadas.

Por outro lado,  propostas públicas dos shoppings não incluem essas restrições. Expectativa do setor é de funcionamento das 12h às 20h, ou seja, de 8 horas por dia, e que as praças de alimentação funcionem com mesas distanciadas ou com uso alternado, evitando aglomerações, segundo Alshop.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA