Golpe do auxílio emergencial rouba CPF e dados pessoais das vítimas

Parece que a cada dia que passa, sempre nos deparamos com um novo tipo de golpe. Desta vez os alvos são o auxílio emergencial pago pelo governo, e as mensagens com o código de acesso para entrar no aplicativo do auxilio. Saiba como proceder nesta situação.

Golpe do auxílio emergencial rouba CPF e dados pessoais das vítimas
Golpe do auxílio emergencial rouba CPF e dados pessoais das vítimas (Imagem: FDR)

Em uma reportagem especial produzida pelo portal G1, o entrvistado Léo informou que estava conferindo suas mensagens no celular e se deparou com um SMS supostamente do auxílio emergencial:

“Auxilio: Seu codigo e ******, valido ate 24/05/2020 04:46. Nao compartilhe”

O problema é que ele não havia solicitado o recebimento do código e estava dormindo no horário em que o SMS foi enviado. Ele ficou com dúvida se deveria entrar em contato com a Caixa.

Caso você não tenha solicitado o auxílio, deve ignorar a mensagem. Existe a possibilidade de alguma pessoa ter digitado o número de telefone errado no cadastro e o SMS ter ido para você.

Porém, a Caixa Econômica informa que o recebimento de código não solicitado é uma forma comum de ataque para levar o usuário a clicar ou ligar para os agentes fraudulentos.

A Caixa aconselha também a verificar se seu CPF foi usado em uma solicitação do auxilio emergencial. Esta verificação é possível de ser feita no site da Dataprev. As pessoas que não receberam mensagens também podem conferir.

Se o seu CPF for utilizado de maneira indevida em uma fraude, a Caixa orienta que seja aberta uma denúncia pelo telefone 121.

Nota completa da Caixa sobre os golpes com o auxílio emergencial

A CAIXA orienta que os cidadãos utilizem única e exclusivamente os canais oficiais da CAIXA ou do Governo Federal para buscar informações e acesso aos serviços. Canais oficiais CAIXA para o Auxílio Emergencial: site auxilio.caixa.gov.br; app CAIXA – Auxílio Emergencial; central de atendimento pelo telefone 111.

A CAIXA não envia e-mails, mensagens ou realizam ligações para os cidadãos. Dessa forma, qualquer tentativa de contato com o cidadão pode ser caracterizada como tentativa de fraude e deve ser desconsiderada, bloqueada e reportada aos órgãos fiscalizadores competentes.

O recebimento de código não solicitado é um método de ataque comum para levar o usuário a clicar ou ligar para os agentes fraudulentos. Nessa situação, o melhor a se fazer é ignorar e bloquear o contato. Recomendamos, ainda, que o cidadão consulte seu CPF no site/app da CAIXA ou Dataprev para conferir a situação atual.

Em casos de suspeita de fraude, pode ser aberta uma denúncia pelo telefone 121 ou pessoalmente em qualquer agência da CAIXA.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.