Urgente! Contratação de militares para atuar no INSS pode ser suspensa

Ação de força tarefa do INSS poderá ser suspensa. Nessa semana, o Tribunal de Contas da União (TCU) deverá liberar um parecer que determina se o governo federal poderá dar continuidade a oficialização dos 8 mil militares que iriam trabalhar para reduzir o número de filas nas solicitações de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social. De acordo com o poder judicial, o processo precisará ser revisado, pois apresenta um risco para a democracia e funcionamento do serviço público.  

Urgente! Contratação de militares para atuar no INSS pode ser suspensa (Imagem: Reprodução / Google)
Urgente! Contratação de militares para atuar no INSS pode ser suspensa (Imagem: Reprodução / Google)

Relator da proposta, o ministro Bruno Dantas já tinha negociado com o Ministério da Economia como aconteceria a contratação de novos funcionários para o INSS. O convite para os militares foi anunciado desde o mês de janeiro, pelo presidente Jair Bolsonaro, mas não foi bem visto pela população e demais setores da administração pública.  

Ciente do caso, Dantas negociou com a equipe da presidência para que, além dos oficiais, os servidores aposentados do INSS também fossem convocados.

Na época, de acordo com ele, considerando o número da fila que já ultrapassava mais de 2 milhões de pessoas, seria necessário ter a atuação dos militares. No entanto, não de forma totalitária.  

Início das contratações no INSS

Após definir os acordos com o TCU, o governo federal deu início ao chamamento da categoria. A ideia era que os selecionados trabalhassem nas agências físicas do instituto e liberassem os demais servidores para que eles atuassem exclusivamente nas análises. 

Os salários iriam variar de acordo com a patente de cada oficial, podendo chegar a valores de até R$ 7,5 mil.  

Nova avaliação  

Com os desdobramentos políticos realizados nos últimos meses e convocações de oficiais para outros cargos, como a coordenação de ministérios, o TCU resolveu voltar atrás na decisão do INSS e reavaliar o caso. De acordo com Bruno Dantas, a contratação dos militares tornou-se uma das principais estratégias do governo Bolsonaro e poderá resultar em problemas para com a democracia nacional. 

Uma nova análise deverá ser feita ao longo do dia de hoje (28) e o TCU contará ainda com ajuda dos ministros do Corte de Contas para poder validar ou reprovar a proposta. O pronunciamento deverá ser divulgado em breve.  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.