Bolsa Família e auxílio emergencial obrigam Brasil a pedir empréstimo internacional

Em meio a pandemia provocada pelo novo coronavírus, diversas ações precisam ser tomadas para garantir o repasse dos valores para os brasileiros que são adeptos a benefícios liberado pelo governo federal. De acordo com informações compartilhadas nesta semana, para conseguir custear o repasse dos valores de parte do auxílio emergencial e da ampliação do Bolsa Família, será necessário recorrer à empréstimo internacional.

Bolsa Família e auxílio emergencial obrigam Brasil a pedir empréstimo internacional (Reprodução/Internet)
Bolsa Família e auxílio emergencial obrigam Brasil a pedir empréstimo internacional (Reprodução/Internet)

A medida, apesar de ter sido adotada em tempos de crise, vai ser detalhada como forma de empréstimo sendo superior a R$ 20 bilhões (US$ 4,1 bilhões). O valor será destinado para o custeio das medidas adotadas pelo governo durante a pandemia.

Além destes pontos ainda são inclusos neste valor os repasses garantidos com as parcelas do seguro-desemprego, e a compensação a trabalhadores que tiveram redução de jornada e salário.

Vale ressaltar que este empréstimo tem sido discutido já algum tempo junto com técnicos da pasta e a equipe econômica colocou em pauta o assunto desde abril, quando a pandemia já estava avançada no país e os benefícios foram liberados.

Mesmo com as medidas de distanciamento que são necessárias para tentar barrar a propagação do vírus, as questões econômicas entram em uma discussão séria, pois o impedimento de abertura de comércios.

Distribuição do valor do empréstimo

  • US$ 1,72 bilhão – Pagamento da renda básica emergencial
  • US$ 960 milhões – Absorção de novos inscritos do programa Bolsa Família
  • US$ 550 milhões – Programa de Manutenção do Emprego e Renda
  • US$ 780 milhões – Seguro-desemprego

De onde virá os recursos

  • Corporação Andina de Fomento (US$ 350 milhões)
  • Banco Interamericano de Desenvolvimento (US$ 1 bilhão)
  • Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (US$ 1 bilhão)
  • Agência Francesa de Desenvolvimento (US$ 240 milhões)
  • New Development Bank (US$ 1 bilhão)
  • KfW Entwicklungsbank (US$ 420 milhões)

De acordo com a equipe econômica, a expectativa é de que mesmo com dólar alto, o valor de custo é relativamente pequeno em juros. Sendo assim, não é considerado riscos às contas públicas.

A estratégia atual é diversificar as fontes de empréstimos, aproveitando um prazo longo e juros baixos. Concessão foi aprovada no último dia 18 de maio, na Comissão de Financiamentos Externos. Pagamentos dos valores variam conforme o organismo multilateral, com prazos de até 25 anos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA