O auxílio emergencial, benefício liberado pelo governo federal durante a pandemia do novo coronavírus, deve ganhar mais um benefício para os clientes do Mercado Pago, fintech do Mercado Livre.

publicidade
Mercado Pago promete pacote de medidas para antecipar auxílio emergencial (Reprodução/Internet)
Mercado Pago promete pacote de medidas para antecipar auxílio emergencial (Reprodução/Internet)
publicidade

Nesta semana, a empresa veio à público detalhar que irá implementar um pacote de medidas que visa ajudar os beneficiários do auxílio a receberem o valor de forma mais rápida, utilizando a sua plataforma.

Vale lembrar que o governo anunciou que neste recebimento da segunda parcela, os saques e transferências serão realizados apenas a partir do dia 30 de maio, conforme mês de nascimento do titular.

No entanto, inicialmente o beneficiário poderá apenas fazer pagamentos de contas e utilizar o cartão virtual através do aplicativo Caixa Tem. Mas, segundo o Mercado Pago, ações podem ser implementadas.

Entre mudanças, o saque imediato do benefício para aqueles que usam o app. Possibilidade é válida graças ao uso de um Código QR que permitirá realizar o procedimento em todos os caixas eletrônicos Banco24Horas com tarifa reduzida no valor de R$ 4,90.

A facilidade é aplicada sem a necessidade do beneficiário ter em mãos um cartão físico. Ainda há outras ações, como a isenção do pagamento de tarifas para TED para contas de outras instituições por mês, e também transferência de dinheiro.

Segundo levantamento de empresa, no dia 20 deste mês foram contabilizados mais de 100 mil transferências do auxílio emergencial para o Mercado Pago. Para obter o benefício é necessário que haja a transferência do valor do aplicativo Caixa Tem para a conta na fintech.

Aos que preferirem guardar o dinheiro, Mercado Pago detalha que a rentabilidade é maior que a poupança comum. O uso do dinheiro pode ser feito também para pagamento de contas, transferências e compras online.

O auxílio emergencial é um benefício repassado pelo governo durante a pandemia. Tem direito aqueles que se enquadram nos critérios de recebimento definidos. Como, por exemplo: ser micro empreendedor individual, desempregado ou inscrito no Cadastro Único. O valor de repasse é de R$ 600 em três vezes, ainda há público que recebe o dobro do valor – mães solteiras.