Veja Também | FDR.TV


 

Retomada do mercado petrifico fará com que os combustíveis fiquem ainda mais caros. Nessa quarta-feira (20), a Petrobrás informou que reajustará o preço da gasolina em 12%. O acréscimo passou a valer a partir desta quinta-feira (21) e representará mais R$ 0.1350 por litro. Desde que foram reavistas as relações entre a China e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), é o terceiro aumento feito no mês de maio.

Atenção! Petrobras comunica mudanças no valor da gasolina (Imagem: Reprodução - Google)
Atenção! Petrobras comunica mudanças no valor da gasolina (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Além de modificações na gasolina, a estatal informou também novos preços para o Diesel que ficará 8% mais caro. Para esse produto, é o primeiro reajuste desde o começo da pandemia do novo coronavírus e deverá se manter ao longo dos próximos dias.  

Impactos da elevação na Petrobras 

O aumento dos preços pode até ser ruim para os consumidores. No entanto, representa um indício de recuperação para os proprietários dos pontos de gasolina e também para os importadores e demais representantes do setor de etanol.

Com a comercialização mais elevada, espera-se que haja um maior lucro, levando em consideração a queda de 5% registradas nos centros de abastecimento.  

Mediante a necessidade do isolamento social, a procura por abastecimento tem sido reduzida em todas as regiões do país. Desse modo, muitos postos registram um acumulo dos combustíveis que estavam com preços ainda mais baixos.  

A união da redução das taxas mais a falta de demanda fez com que diversos distribuidores entrassem em crise. Para as próximas semanas e meses, a categoria espera que com o fim do isolamento social e retomada das atividades o número de venda volte a aumentar gradativamente.  

Mercado internacional  

No cenário exterior há também um clima de otimismo. Os investidores acreditam que com o crescimento nas cotações dos barris, o petróleo volta a obter seu poder de compra e venda nas grandes potências.  

Nessa quarta-feira (20), as taxas para o combustível no tipo Brent operavam em alta de 2,91%, com cotação de US$ 35,66 para os contratos de julho. De acordo com os analistas desse setor, os números se manterão em alta tendo em vista a retomada equilibrada entre a oferta e demanda dos grandes distribuidores.  

COMENTÁRIOS

Maria Eduarda Andrade, mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.