Sesi e SENAI são obrigados a fechar unidades em 3 municípios do Mato Grosso

O corte de 50% sobre a contribuição compulsória das indústrias, causou o fechamento das unidades do Sesi e do Senai em três municípios do Mato Grosso. A Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT) foi quem anunciou o fechamento. Com as unidades fechadas, alguns funcionários serão transferidos e um corte de vagas vai acontecer nas duas instituições, o que pode atingir 15% do total de empregados.

Sesi e SENAI são obrigados a fechar unidades em 3 municípios do Mato Grosso
Sesi e SENAI são obrigados a fechar unidades em 3 municípios do Mato Grosso (Foto: Google)

As unidades a serem fechadas segundo a Fiemt, são as do Sesi e Senai de Cáceres e Juína e também o Senai Barra do Garças. Logo de imediato as unidades da Barra do Garças e Juína fecham. Em Cáceres, todas as atividades serão realizadas na unidade do Senai até a suspensão total do funcionamento.

Está suspensa também a inauguração da unidade do Senai que fica em Alta da Floresta, esta que ainda está em obras. Por fim, em Rondonópolis as atividades do Sesi serão realizadas no prédio do Senai.

As informações da Fiemt dizem que o impacto do corte nos recursos juntamente com a crise, culminou em uma perda de R$30 milhões ao Sesi e Senai do Mato Grosso em 2020.

Este montante equivale a 20% da arrecadação que era esperada para todo o ano. Este é o motivo das atividades realizadas nas unidades que precisavam da contribuição compulsória, serem suspensas.

Léia Brun, a diretora regional do Senai MT e superintendente do Sesi MT, disse que fechar as unidades foi a única opção que restou.

“Reduzimos a carga horária e os salários por 90 dias, reduzimos custos, renegociamos e cancelamos contratos com fornecedores, cancelamos eventos, proibimos despesas com viagens e diversas outras ações. Com o fechamento das unidades, buscamos remanejar o máximo de pessoas que pudemos, para minimizar a necessidade de cortes. Mas, infelizmente, a redução do recurso foi muito impactante para as nossas instituições”, disse.

Porém, a federação reafirma que os atendimentos permanecem disponíveis em todos os municípios do estado, através das unidades restantes.

Devido a crise financeira causada com a pandemia do coronavírus, o governo realizou um corte de 50% nas contribuições do Sistema S, pago pelas empresas. Isso significa que os recursos vindo para as instituições como Sesi, Senac e Senai, foram cortados pela metade.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.