BNDES libera R$4 bilhões para fintechs, apps e máquinas de cartão emprestarem dinheiro

Por conta da pandemia do coronavírus, o acesso ao crédito nos bancos está ainda mais difícil para os micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). O BNDES decidiu recorrer aos canais digitais para que o dinheiro possa chegar nessas empresas.

BNDS libera R$4 bilhões para fintechs, apps e máquinas de cartão emprestarem dinheiro
BNDES libera R$4 bilhões para fintechs, apps e máquinas de cartão emprestarem dinheiro (Imagem:Google)

A instituição vai emprestar R$4 bilhões para esse público, inclusive para os microempreendedores individuais (MEIs) sem conta em banco, por meio de empresas de maquininhas de cartão, fintechs e para os chamados marketplaces. 

Assim como os aplicativos de delivery, ou sites de comércio eletrônico que abrem a sua plataforma para os varejistas menores. 

A ideia é que esses intermediários complementem a oferta com mais de R$1 bilhão, fazendo com que a iniciativa empreste para até 100 mil micro e pequenas empresas.

O BNDES vai lançar hoje (7), a chamada pública para que possa escolher esses intermediários digitais. Eles deverão gerir os fundos de crédito para liberar o dinheiro. 

Serão até dez fundos, que serão divididos em dois perfis. Um deles terá como foco os empreendedores que vendem via marketplaces, ou por meio de maquininhas, como os restaurantes e ambulantes que aceitem cartão.

Para esses públicos, os juros terão de ser menores que 3,5% ao mês e o empréstimo de até R$200 mil. Ao menos ¾ das operações terão um prazo mínimo de nove meses.

Uma outra categoria de fundos emprestará para a MPMEs em geral. Logo, uma fintech de crédito que não oferece maquininha de cartão, nem marketplace poderá dar o crédito. 

O empréstimo será de, no máximo, R$ 2 milhões, e pelo menos três quartos das operações deverão ter prazo de, no mínimo, um ano. Nessa modalidade, o juro final não poderá ultrapassar 4% por mês.

Porém, como o banco fará uma concorrência para selecionar os intermediários, a ideia é que os juros fiquem abaixo desses patamares, de acordo com Filipe Borsato, chefe do Departamento de Gestão de Investimentos em Fundos do BNDES. 

Serão levados em conta ainda o impacto social, os prazos e as condições oferecidas nas propostas.

Os pequenos e médios empreendedores já vinham reclamando da dificuldade de tomar empréstimos por meio de uma linha emergencial lançada pelo BNDES no dia 22.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.