ESTAS são as ações em alta para se investir em maio

Após dois meses de muita instabilidade na bolsa brasileira, o mês de maio ainda carrega o velho título de “pior mês das ações da bolsa”.

ações
ESTAS são as ações em alta para se investir em maio (Imagem: Reprodução Google)

Muitos já conhecem o antigo bordão: “Sell in May and go away!”, que traduzido seria algo como: “Venda em maio e vá embora!”.

Para quebrar de vez a velha superstição, vamos conhecer as ações brasileiras que podem ter um bom desempenho no próximo mês.

Vamos usar como base os relatórios das principais corretoras de investimentos para o mês de maio, assim podemos ter uma base ainda mais qualificada.

Antes de partir para as indicações, precisamos esclarecer um ponto muito importante. Alguns investidores, principalmente aqueles que estão começando, procuram as ações que se valorizaram nos últimos dias para investir.

Esse raciocínio pode ser resumido como: “Bom, como esta ação subiu 10% deve ser um bom investimento, certo?”

A resposta na verdade é não, uma ação que acabou de apresentar uma grande valorização pode não ser um investimento.

Na realidade o mercado funciona de maneira contrária, o ideal é procurar as empresas das bolsa que estão descontadas por algum motivo.

Imagine que se a queda foi algo momentâneo, investir em empresas que estão com preços mais baixos aumenta suas chances de conseguir uma rentabilidade maior e mais rápida no futuro.

Agora que deixamos isso claro podemos partir para a melhor parte do artigo, confira as ações mais indicadas para o mês de maio:

PETR4 – PETROBRAS

As ações da gigante estatal estão no topo das listas de recomendações das principais corretoras do Brasil.

O motivo parece ser o grande desconto nos preços da empresa. As ações que chegaram a ser negociadas por R$ 30,55 ainda neste ano, estão sendo vendidas por R$ 17,38.

O principal motivo, além da crise atual, foi a grande queda nos preços do petróleo no início deste ano.

Por se tratar de uma commodity tão importante, é de se esperar que os preços se normalizem no futuro, principalmente com o final do isolamento em alguns países.

Os preços do petróleo têm bastante espaço para subir durante o próximos mês, o que beneficia as ações da empresa.

ITUB4 – Itaú Unibanco

O raciocínio para o banco é bem parecido com a ação anterior, um evento pontual que derrubou o preço das ações e que podem gerar uma grande rentabilidade aos investidores.

No caso do Itaú, o principal fator que desvalorizou a empresa foi a última divulgação dos resultados, que mesmo positivos ficaram abaixo do que o mercado esperava do banco.

O que pesa em favor do banco é o histórico constante de lucros nos últimos anos, mesmo com o surgimento de cada vez mais concorrentes digitais, o banco tem investido em várias frentes de expansão e de incorporação dessas iniciativas menores.

VALE3 – Vale

A empresa que já recuperou boa parte do prejuízo inicial com a chegada do coronavírus, pode ser valorizada pelo aumento nos preços do minérios de ferro.

Com a retomada da atividade econômica em tempo recorde na China, a empresa pode ter uma boa parte do seu faturamento recuperado de maneira muito rápida.

Além do momento positivo, a empresa surpreende com uma geração de caixa muito alta e também com recebimento de prêmios pela alta qualidade do minério comercializado.

Os preços da empresas também estão muito descontados, em valores mais baixos do que o início do ano, representando uma grande oportunidade de valorização aos investidores.

Ressalvas

É importante lembrar, que os cenário estimados pelo mercado podem ser alterados, principalmente por mudanças políticas ou avanço da Covid-19.

Como temos duas empresas com participação pública (Petrobras e Vale), podemos ter também mudanças tanto positivas quanto negativas pelas políticas econômicas do governo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Sandro Messa
Sandro Messa possui bacharelado em Ciências e Humanidades e Ciências Econômicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). No mercado de trabalho, tem passagem pelo Banco Mercantil do Brasil, como gerente de relacionamento. Atuou também como assessor de investimentos no Itaú Personnalité e na XP Investimentos. Atualmente, trabalha como Consultor Financeiro e dedica-se à redação do portal FDR.