FGTS: saque de R$1.045 vai mesmo acontecer? Veja informações AQUI

A Caixa Econômica Federal, deve anunciar na próxima semana o calendário para a liberação de até R$1.045 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O saque emergencial foi anunciado pelo governo por meio da medida provisória 946, por conta do coronavírus. 

FGTS: saque de R$1.045 vai mesmo acontecer? Veja informações AQUI
FGTS: saque de R$1.045 vai mesmo acontecer? Veja informações AQUI (Foto:FDR)

Apesar disso, o calendário de pagamento ainda não foi anunciado e não foram detalhados como o dinheiro poderá ser resgatado.

Até agora, o que se sabe é que os saques poderão ser realizados entre 15 de junho a 31 de dezembro deste ano. 

Podem realizar o saque do FGTS os trabalhadores que possuem saldo até esse valor na conta ativa, do emprego atual ou inativa, dos empregos anteriores. 

O patrimônio do PIS/Pasep será incorporado ao FGTS a partir de 31 de maio deste ano. Sendo assim, são R$22,5 bilhões no qual o saque já havia sido liberado no governo de Michel Temer, mas as pessoas não foram sacar. O dinheiro será transferido para o FGTS e liberado para os cotistas.  

Cada trabalhador vai ter direito a um saque independente do número de contas que tiver. 

As cotas do fundo PIS/Pasep são diferentes do abono salarial do PIS/Pasep, de até R$1.045, para aqueles que possuem remuneração mensal média de até dois salários. 

De 1971 até 1988, as empresas e órgãos públicos depositavam dinheiro no fundo PIS/Pasep em nome de cada um dos seus funcionários e servidores contratados.

Cada trabalhador, então, era dono de uma cota no fundo. Portanto, quem trabalhou como contratado em uma empresa ou como servidor público antes de 4 de outubro de 1988 tem uma conta no fundo PIS/Pasep.

Como consultar o saldo do FGTS

Para saber quanto pode sacar do FGTS é só acessar o site da Caixa ou o aplicativo FGTS. No site da Caixa, você precisa confirmar o número do seu NIS (Número de Identificação Social) ou o CPF e clicar em “cadastrar senha”.

Depois de cadastrar a senha, é necessário ler o regulamento, clicar em “aceito” e preencher todos os campos com os dados pessoais. Por último, crie uma senha com até oito dígitos, com letras e números, e confirme.

Você será direcionado para a tela de login novamente. Preencha os campos com NIS ou CPF, insira a senha cadastrada e acesse.

No aplicativo FGTS, é necessário selecionar a opção “cadastre-se” e preencher todos os dados solicitados: CPF, nome completo, data de nascimento e e-mail. Depois, deve cadastrar uma senha de acesso, numérica, com seis dígitos.

Para quem já usava o aplicativo, pode repetir o mesmo número de senha que usava antes. Depois de incluir seus dados, é só clicar no botão “não sou um robô”.

Você vai receber um e-mail de confirmação no endereço de e-mail informado por você. Acesse-o e clique no link que foi enviado. Após o cadastramento, abra o app e informe o CPF e a senha cadastrada.

Após o login, aparecerão algumas perguntas adicionais sobre a sua vida funcional. Após responder essas perguntas você deve ler e aceitar as condições de uso do aplicativo, clicando em concordar.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.