URGENTE: 2ª parcela do auxílio emergencial NÃO será paga na data prometida

Antecipação do auxílio emergencial é cancelada. Nesta quinta-feira (23), milhares de brasileiros seriam contemplados com o pagamento da segunda parcela do coronavoucher. No entanto, o Ministério da Cidadaniinformou que a liberação foi suspendida e só acontecerá a partir do mês de maio. De acordo com o ofício repassado para a imprensa, a alta procura e contabilização de novos cadastros no auxílio emergencial impediram que a administração pública adiantasse o segundo valor do benefício.  

URGENTE! 2° parcela do auxílio emergencial NÃO será paga como prometido (Imagem: Reprodução - Google)
URGENTE! 2° parcela do auxílio emergencial NÃO será paga como prometido (Imagem: Reprodução – Google)

“Tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela. No entanto, devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos“, disse a pasta, em nota à imprensa.  

O anuncio da mudança de calendário tinha sido feito nessa segunda-feira (20), pelo então ministro Onyx Lorenzoni. O representante tinha informado que os valores passariam a ser depositados a partir desta quinta-feira e se estenderiam até a próxima semana.

Os primeiros contemplados seriam os nascidos entre janeiro e fevereiro que já estavam registrados no Cadastro Único. Por fim, a liberação ocorreria para os cadastrados no Bolsa Família 

“É importante frisar que o objetivo é garantir o atendimento a todas as pessoas elegíveis de acordo com a lei aprovada. Desta forma, após a definição da suplementação orçamentária a ser feita pelo Ministério da Economia, iremos completar o atendimento da primeira parcela e anunciar o calendário de pagamento da segunda parcela do Auxílio-Emergencial no mês de maio. Todos os que forem elegíveis de acordo com a lei irão receber“, informou a nota do ministério.  

A publicação afirma ainda que o cancelamento do pagamento foi determinado sob recomendação da Controladoria Geral da União (CGU). 

De acordo com o texto, o governo precisa contabilizar o valor das despesas nos cofres públicos mediante a aceitação de novos cadastros no auxílio emergencial.

Segundo a informação repassada na nota, para cada um dos três lotes disponíveis o governo tem em caixa R$32,7 bilhões para serem pagos. Nesse primeiro momento já foram repassados R$31,3 bilhões, sendo que faltam ser confirmadas as análises de 12 milhões de cadastros da primeira parcela. 

Foi então, que a CGU recomendou finalizar o primeiro lote para só depois pensar em antecipar o segundo pagamento. 

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.