BB cria plataforma para venda online de imóveis

A partir dessa terça-feira (14), o Banco do Brasil (BB) junto com a startup Resale, vai disponibilizar uma solução digital para a venda de imóveis retomados. No site, estão disponíveis para a venda de cerca de 1.600 mil imóveis pertencentes ao banco por todo o país. 

BB cria plataforma para venda online de imóveis
BB cria plataforma para venda online de imóveis (Imagem: Reprodução/Google)

A solução vai permitir fazer desde a oferta até o processo de pós-venda, com registro em cartório de forma online. 

Leia Também: Coronavoucher de R$1.200 faz primeiro pagamento; saiba quem recebe

Até agora, quando o Banco do Brasil retomava um imóvel usado como garantia de um financiamento, o processo de venda do bem era feito de forma tradicional, por meio de um leilão. 

A estratégia muitas vezes não atingia de fato o público, o banco buscou formas mais rápidas e ágeis para a realização da venda por meio de startups. 

O vice-presidente do banco, Mauro Ribeiro Neto, afirma que a Resale foi escolhida por conta da experiência comprovada com esse tipo de operação de imóveis. 

“A empresa tem um perfil tecnológico, que é bastante interessante para o banco, já que faz um trabalho mais completo, não sendo só uma mera plataforma de divulgação”, diz o executivo.

A startup foi fundada em 2015 por Marcelo prata e Paulo Nascimento, e nasceu como uma solução que ajudasse os bancos a se renovar no mercado de venda do setor imobiliário.

Desde o ano de 2016, a empresa tinha um contrato com o banco privado Santander para digitalizar processos. No ano passado, a empresa foi vendida  para o BTG Pactual, por valor não divulgado, dando saída para seus 33 investidores.

Como funciona o sistema no BB

Ao receber uma carteira de imóveis que é disponibilizada pelo banco, a Resale faz a conexão com o marketplace que se relaciona com dezenas de canais de vendas online. 

Além disso, a plataforma tem parceria com 33 leiloeiros, sendo assim, o banco fica com uma vitrine online permanente de seus ativos. 

No caso do BB não seria necessário contratar uma plataforma apenas para digitalizar a oferta. Por isso, o banco pediu que a startup assumisse também o processo de pós-venda de forma digital.

Leia Também: Covid-19: Lista com todos os pagamentos de tributos que foram adiados na quarentena

A empresa precisou encontrar formas de levar a digitalização para processos tradicionalmente analógicos. “Nós precisamos encontrar o que existe hoje entre o mundo real e ideal, que é o mundo possível”, diz Marcelo Prata. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA