Auxílio merenda: Veja como os estados estão compensando falta de alimentação escolar

Por conta da pandemia do coronavírus e as medidas de isolamento social que foram adotadas, como a suspensão das aulas por todo o país. Os estudantes da rede pública ficaram sem acesso ao alimento oferecido pelas escolas. Cientes de que esta pode ser a principal refeição das crianças, os governos estaduais e municipais criaram o auxílio merenda. 

Auxílio merenda: Veja como os estados estão compensando falta de alimentação escolar
Auxílio merenda: Veja como os estados estão compensando falta de alimentação escolar (Imagem:Reprodução/Google)

Veja aqui o que alguns estados estão fazendo sobre esse assunto.

Leia Também: Auxílio de R$600: Caixa confirma quem vai receber essa semana

Rio de Janeiro

O governo pretende distribuir valores de R$ 100 para os alunos da rede pública estadual que se encontram em situação de extrema pobreza, que são atendidos pelo Cadastro Único, e beneficiados pelo Bolsa Família. Porém, ainda não se sabe quantos são esses alunos. 

Algumas famílias irão receber cestas básicas durante esse período. O auxílio será pago por meio de um aplicativo que ainda não foi definido pela Secretaria de Educação.

A prefeitura também vai pagar R$ 100 no auxílio merenda, destinado à compra de alimentos em supermercados para alunos da rede municipal.

Até o final do mês de abril, 140 mil famílias cadastradas no Bolsa Família e no Cartão Família Carioca recebem o auxílio entregue diretamente nas escolas, “seguindo as orientações de distância mínima entre as pessoas”.

Minas Gerais

O governo possui o Bolsa Merenda que deve distribuir tíquetes mensais com o valor de R$ 50 para cada um dos 2 milhões de estudantes da rede estadual em situação de extrema pobreza, inscritos no Cadastro Único.

O projeto ainda está sendo implementado e deve começar no fim de abril. As regras sobre como será realizada a distribuição ainda não foi estabelecida.

Na capital, Belo Horizonte, mais de 130 mil cestas básicas foram distribuídas a famílias da rede municipal de ensino e para pessoas em situação de vulnerabilidade pela prefeitura.

O benefício começou a ser pago em 31 de março e era destinado apenas aos estudantes. 

Já no dia 9 de abril, a iniciativa foi ampliada para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), famílias incluídas no cadastro único dos programas sociais e trabalhadores informais que atuam nas ruas da capital.

Para evitar aglomeração, a prefeitura está fazendo a entrega em dias e locais diferentes, consultados pela internet.

Distrito Federal

O governo organizou dois auxílios. O primeiro é o cartão creche que concede um crédito mensal de R$ 150 para 23.383 crianças de 0 a 5 anos desde o fim de março. 

O pagamento é realizado por meio de um cartão produzido pelo Banco de Brasília, entregue nas creches com horário marcado para evitar aglomerações.

Leia Também: Coronavoucher de R$1.200 faz primeiro pagamento; saiba quem recebe

Já a bolsa alimentação tem valores mensais que variam entre R$ 59,70, para alunos que fazem apenas uma refeição na escola,  R$ 119,40 duas refeições e R$ 179,10 para três refeições. O benefício chega a 106.435 alunos por meio do Cartão Material Escolar.

São Paulo

O governador do estado João Doria disponibilizou R$55 no auxílio merenda para 732 mil alunos da rede pública.

Para ter acesso ao valor é preciso baixar o aplicativo PicPay e inserir os dados pessoais e bancários do adulto responsável pelos estudantes. A transferência do valor será feita por dois meses.

Na capital, a prefeitura vai conceder R$ 101 por mês aos alunos da creche, estudantes do ensino infantil receberão R$ 63 e, do ensino fundamental terão direito a R$ 55.

Para receber a quantia, os pais devem entrar em contato com a escola para retirar o cartão do auxílio merenda com hora marcada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA