ESTAS são as novas regras para cancelar ingresso em shows e eventos

Mercado de entretenimento também deverá se readaptar ao longo da pandemia. Nessa quarta-feira (8), o governo federal informou que o cancelamento de shows e demais eventos poderão ser realizados ao longo dos próximos meses. No que diz respeito a devolução financeira, os contratantes deverão renegociar novos prazos, de modo que o serviço possa ser remarcado.

Veja as novas regras para cancelar ingresso em shows e eventos culturais (Imagem: Reprodução - Google)
Veja as novas regras para cancelar ingresso em shows e eventos culturais (Imagem: Reprodução – Google)

A Medida Provisória nº 948, foi publicada no Diário Oficial da União ainda ontem (8) e passou a ter validade imediata. Por meio dela, quem solicitar o cancelamento de reservas em serviços de turismo ou demais eventos, não terá acesso imediato ao reembolso, fazendo com que os fornecedores tenham um prazo de até 12 meses para renegociação.

Leia também: Cacau Show não vai distribuir 5 mil ovos de páscoa

Direito do consumidor

Ao solicitar a suspensão de alguma atividade, o consumidor deverá ser resguardado pelos seguintes direitos: a remarcação do serviço cancelado; a disponibilização de crédito para uso ou abatimento na compra de outros serviços disponíveis nas respectivas empresas; ou outro acordo a ser formalizado com o consumidor.

Caso não haja essas possibilidades, o mesmo poderá entrar com recurso para que o pagamento seja realizado. No que diz respeito aos custos, os clientes não terão que arcar com valores adicionais, taxas de multa, juros ou demais cobranças, desde que a suspensão seja feita pelos próximos 90 dias.

As marcas que não conseguirem cumprir as exigências acima, deverão devolver os pagamentos e custear os valores referentes a atualização do Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial – IPCA-E. O prazo para reembolso deverá ser de até 12 meses, contabilizados a partir do encerramento do estado de calamidade pública.

Meio artístico

No caso dos cantores e demais artistas que foram contratados para a realização de shows, participações em festivais, rodeios, espetáculos musicais ou de artes cênicas, o valor não precisará ser devolvido.

Isso significa que, quem já recebeu e ficou impossibilitado de se apresentar por causa do Covid-19, terá até 12 meses para poder remarcar uma nova data.

Leia também: MEI: todos os empreendedores têm direito ao auxílio emergencial? Entenda!

Se a apresentação não conseguir se enquadrar dentro do prazo estipulado, os contratantes deverão ser restituídos. Nesse caso, será necessário que ambos entrem em diálogo para definir um novo calendário de acordo com a disponibilidade dos dois. Em solicitação de devolução, o pagamento terá que ser devidamente atualizado pelo IPCA-E.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA