Brasileiros passarão a contar com novos salários. Nessa quarta-feira (1), o governo federal anunciou uma medida provisória que modificará o pagamento dos trabalhadores, durante o período do coronavírus. A MP permite que os contratos sejam cortados em até 70% a depender da situação da empresa contratante. No texto abaixo, explicaremos como funcionará a proposta e quais os reajustes. Confira:

CORTE de salários: acesse simulador e veja quanto vai receber com novas regras (Imagem: Reprodução - Google)
CORTE de salários: acesse simulador e veja quanto vai receber com novas regras (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

O texto, já aprovado pelo Congresso, aplicará reduções de 25%, 50% ou de 70% nos salários dos funcionários. A definição desse corte precisará ser negociada com o Sindicado de cada categoria e ficará sob responsabilidade da empresa contratante.

Leia também: Valor do seguro desemprego: saiba quanto tem direito a receber

Aqueles que tiverem seus pagamentos reduzidos, significa que terão uma carga horaria inferior ao estipulado pela lei trabalhista de até 8h diária. Ou seja, os funcionários de home office ou quem permaneceu nas unidades físicas, ficará sujeito a modificações em suas atividades de acordo com os interesses de seus patrões.

Há a possibilidade também de afastamento total, porém de forma temporária, por até três meses. Nesse caso, o governo ficará responsável por custear 100% do salário registrado no contrato do trabalhador. O mesmo acontecerá nos cortes e reduções, que deverão ter os valores cobertos como uma espécie de seguro desemprego.

De acordo com o ministério da economia, a definição da porcentagem de reajuste vai depender da renda do funcionário. Aqueles com valores superiores a R$ 3.135 (por mês), poderão ter descontos de 50% ou 70%.

Simulações dos cortes nos salários (Fonte: portal G1)

  • Salário bruto de R$ 2 mil

Cenário com redução de 25%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 1,5 mil
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 369,97
  • Remuneração total: R$ 1.869,97
  • Redução real de 7%
  • Salário bruto de R$ 4 mil

Cenário com redução de 25%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 3.000,00
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 453,26
  • Remuneração total: R$ 3.453,26
  • Redução real de 14%

Cenário com redução de 50%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 2.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 906,52
  • Remuneração total: R$ 2.906, 52
  • Redução real de 27%

Leia também: Aprovado! Imposto de Renda 2020 será entregue em nova data

Cenário com redução de 70%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 1.200
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 1.269,12
  • Remuneração total: R$ 2.469,12
  • Redução real de 38%
  • Salário bruto de R$ 6 mil

Cenário com redução de 25%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 4.500
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 453,26
  • Remuneração total: R$ 4.953,26
  • Redução real de 17%

Cenário com redução de 50%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 3.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 906,52
  • Remuneração total: R$ 3.906, 52
  • Redução real de 35%

Cenário com redução de 70%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 1.800
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 1.269,12
  • Remuneração total: R$ 3.069,12
  • Redução real de 49%
  • Salário bruto de R$ 8 mil

Cenário com redução de 25%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 6.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 453,26
  • Remuneração total: R$ 6.453,26
  • Redução real de 19%

Cenário com redução de 50%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 4.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 906,52
  • Remuneração total: R$ 4.906, 52
  • Redução real de 39%

Cenário com redução de 70%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 2.400
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 1.269,12
  • Remuneração total: R$ 3.669,12
  • Redução real de 54%
  • Salário bruto de R$ 10 mil

Cenário com redução de 25%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 7.500
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 453,26
  • Remuneração total: R$ 7.953,26
  • Redução real de 20%

Cenário com redução de 50%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 5.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 906,52
  • Remuneração total: R$ 5.906, 52
  • Redução real de 41%

Cenário com redução de 70%

  • Salário pago pelo empregador: R$ 3.000
  • Benefício com base no seguro-desemprego: R$ 1.269,12
  • Remuneração total: R$ 4.269,12
  • Redução real de 57%
COMENTÁRIOS

Maria Eduarda Andrade, mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.