Maia faz previsão sobre data para liberar auxílio de R$600 aos trabalhadores

Entre as medidas previstas pelo governo federal para movimentar a economia e tentar auxiliar durante a recessão econômica com os impactos do novo coronavírus, está a entrega do auxílio de R$ 600 para trabalhadores informais.

Maia faz previsão e tem data para liberar auxílio de R$600 aos trabalhadores (Wilson Dias/Agência Brasil)
Maia faz previsão sobre data para liberar auxílio de R$600 aos trabalhadores (Wilson Dias/Agência Brasil)

Mas, mesmo com a aprovação na Câmara e no Senado, o texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro. Mesmo com os impasses, a data para a liberação do dinheiro ainda não foi divulgada.

Leia Também: Aprovado no Senado! ‘Coronavoucher’ depende apenas de Bolsonaro

Observando este cenário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em entrevista coletiva à imprensa nesta terça-feira (31), não poupou e fez duras críticas ao prazo com que o governo está trabalhado, sendo lento na garantia.

De acordo com o parlamentar, o governo não está agindo de forma a contemplar de forma emergencialmente, tendo em vista que a data prevista – dia 16 de abril – ainda está distante.

“Se é um apoio emergencial, 16 de abril não me parece tão emergencial”, disse Maia

Ele ainda defende que o governo possui os recursos necessários para realizar ações que possam ser articuladas em mutirão para realizar o repasse da verba. “Não me parece que aguardar até lá é a melhor solução”, destaca.

Levando em consideração as previsões estatísticas, o deputado pontou que o Brasil enfrentará o momento mais difícil da pandemia durante os meses de abril, maio e junho, e, logo depois, a economia irá voltar ao normal.

O discurso é complementado com uma fala que reafirma a sua posição que como o governo federal está adiando o repasse se torna um problema. “Não acho que uma matéria como essa dos R$ 600, que todos sabem que é urgente, possa esperar”, reforçou.

A expectativa é que sejam feitos 30 milhões de pagamentos mensais, com custo de até R$ 60 bilhões, de acordo com informações divulgadas pelo Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado.

Leia Também: Itaú adere às novas regras do governo e prorrogada 140 mil contratos

Auxílio de R$600

O benefício aprovado será no valor de R$ 600, sendo possível receber até R$ 1,2 mil por família, a depender dos critérios estabelecidos. De acordo com o texto, o ‘coronavoucher’ como ficou conhecido, será repassado durante três meses.

Inicialmente, o governo federal havia proposto um auxílio de R$ 200. Maia, porém, disse que votariam o valor de R$ 500, pontuando, portanto, que o valor previsto seria insuficiente.

Durante a sessão, o presidente Jair Bolsonaro disse ao Congresso que aceitava subir o benefício para R$ 600.

O valor será repassado para brasileiros que trabalham de forma informal, intermitente e aqueles que são maiores de 18 anos.

Para garantir é preciso não ter recebido em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 e não ser beneficiado por seguros e assistenciais do INSS.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA