Um mapeamento realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), mostrou que cerca de 7 mil casas do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), estão desocupadas em São Paulo e Rio de Janeiro. A partir de agora, as unidades podem ser usadas durante a pandemia do coronavírus para quarentena fora dos hospitais.

MCMV: 7 mil imóveis à disposição do governo para quarentena
MCMV: 7 mil imóveis à disposição do governo para quarentena (Foto: Reprodução Google)
publicidade

Rogério Marinho, o ministro do Desenvolvimento Regional, comunicou que se houvesse necessidade, sua pasta colocaria à disposição do Ministério da Saúde, casas do programa Minha Casa Minha Vida não ocupadas para serem usados para quarentena fora de unidades hospitalares.

Leia Mais: Coronavírus e a crise do comércio: a solução está nas vendas on-line?

O ministro falou também que fundos para ajudar as regiões mais necessitadas como Norte e Nordeste estão sendo estudados e completou informando que a Defesa Civil está mobilizada juntamente com o Ministério da Saúde para auxiliar a população.

O mapeamento das unidades vazias do programa MCMV, está sendo realizado pessoalmente pelo ministério e vai de acordo com a demanda necessária.

O MDR explicou que a necessidade de se avaliar as condições das obras é porque algumas casas, mesmo que concluídas ou quase finalizadas, podem apresentar características que sejam ideais para serem usadas pelo Ministério da Saúde. Por este motivo, a avaliação é realizada em parceria com o Ministério da Saúde.

O mesmo Ministério informou que o número de casos confirmados de coronavírus no país subiram para 2.693 em 26 de março. Segundo as informações, até a tarde desta quinta-feira (26) tinham sido registradas 77 mortes causadas pela doença.

Os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais.

Geralmente, infecções por coronavírus causam problemas respiratórios leves a moderados, semelhantes a um resfriado comum.

Leia Mais: Coronavírus: agricultores pedem nova data para pagamento das dívidas

No entanto, a grande preocupação são os idosos acima de 60 anos e as pessoas com doenças crônicas. Isso porquê, o vírus ataca os sistemas imunológicos mais fracos.

A doença provocada pelo novo coronavírus chama-se COVID-19. Os primeiros casos foram registrados inicialmente na China, no final de 2019. Há registros da doença em todo o mundo, ocasionado muitas mortes.

COMENTÁRIOS

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.