Caminhoneiros ficam desamparados em crise e senadores pedem respostas

Os caminhoneiros que são os principais responsáveis pelo transporte de cargas e mercadorias nas rodovias, têm relatado diversas dificuldades para fazer com que os produtos básicos cheguem à mesa. Tudo por conta da restrição das atividades e serviços que foram impostas em diversos estados do país. 

Caminhoneiros ficam desamparados em crise e senadores pedem respostas
Caminhoneiros ficam desamparados em crise e senadores pedem respostas (Imagem: Reprodução/Google)

O senador Paulo Paim (PT-RS) relatou problemas que os caminhoneiros têm vivido, como restaurantes fechados na estrada e falta de apoio nos postos que assegurem a manutenção do transporte de cargas. 

Leia Também: Caminhoneiros podem receber auxílio financeiro para conter crise

“Os trabalhadores pedem socorro. Entre eles, os caminhoneiros que transportam o Brasil nas costas. O coronavírus agravou a situação: comércio fechado nas estradas, postos cobrando caro e restringindo o acesso. Como os alimentos chegarão aos supermercados e na mesa do brasileiro?”, questionou o senador.

O parlamentar informou que apresentou um projeto para o governo que possa assegurar as condições básicas para a atuação desse profissionais.

“Apresentei proposta para garantir aos caminhoneiros infraestrutura nas rodovias e estradas: pontos de apoio, locais de descanso, restaurantes para refeições, segurança sanitária. A ideia é também disciplinar a jornada de trabalho. Meu total apoio e solidariedade”, acrescentou.

Em entrevista à agência Senado, o motorista Antônio Rivaldo Bezerra Júnior que realiza o transporte de grãos entre os estados de Tocantins, Maranhão, Paraíba e Ceará comentou que o cenário piorou nas últimas semanas.

Ele se queixou que não há suprimentos para que as refeições sejam preparadas dentro do caminhão, e ainda citou os caminhoneiros que não têm os utensílios.

“Você não encontra mais restaurante aberto. Não encontra borracharia. As farmácias já não têm mais álcool em gel e máscara para vender. As empresas não oferecem também esses itens. E em muitas situações, ficam 300, 400 caminhoneiros desprotegidos, em um único ponto, aguardando o carregamento ou descarregamento, todos aglomerados. Um grande risco. Não temos assistência de nada” afirmou.

Alguns parlamentares, como o senador Major Olimpio (PSL-SP), pediram para que os comércios da estrada se mantenham abertos para que possam oferecer apoio para essa categoria.

Posicionamento dos estados

Os governadores dos estados da Bahia Rui Costa, e do Maranhão, Flávio Dino, publicaram decretos que mantém os comércios, restaurantes, postos, farmácias e borracharias em pleno funcionamento nas estradas.

Leia Também: Dória promete R$55 aos alunos da rede pública para substituir merenda escolar

Em outros estados como no Rio Grande do Sul, precisou que o senador Lasier Martins (Podemos-RS) solicitasse ao governador, Eduardo Leite, que o estado também altere o texto do decreto estadual de calamidade pública para manter abertas as oficinas mecânicas e lojas de peças voltadas a caminhões.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA