Trabalhadores autônomos deverão receber R$200 do governo

O governo vem tomando uma série de medidas a fim de atenuar os efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus. A preocupação do momento são os trabalhadores autônomos que acabam sofrendo mais com todo esse problema, já que não têm salário fixo e o fluxo de clientes deve diminuir drasticamente.

Trabalhadores autônomos deverão receber R$200 do governo
Trabalhadores autônomos deverão receber R$200 do governo (Foto: Google)

A medida anunciada tem o objetivo de garantir algum ganho para estes trabalhadores que não possuem renda fixa e, em muitos casos, não contribuem com a presidência.

Leia Mais: O coronavírus e seu bolso: Uma nova crise econômica no Brasil está próxima?

“O povo sai da rua, não tem ninguém mais tomando táxi? O chofer de táxi pode passar na Caixa Econômica Federal, ou no [posto do INSS] mais próximo, ou virtualmente” disse o Ministro Paulo Guedes.

Esta medida faz parte de um pacote de R$15 bilhões direcionado para as populações mais carentes. Para que aconteça a liberação do dinheiro, Paulo Guedes afirma que o congresso tem que reconhecer o estado de calamidade que o país atravessa.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou e enviou o pedido na última semana ao Congresso. A medida foi apoiada pelos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre e prometeram acelerar a aprovação nos plenários.

O estado de calamidade já foi reconhecido ontem (18) entre os deputados, e agora aguarda votação dos senadores.

As duas Casas precisam reconhecer a medida, pois segundo Paulo Guedes, somente assim o governo vai aumentar os gastos públicos para o combate a pandemia de coronavírus sem que haja risco de punição pelo descumprimento da meta fiscal que é definida pela lei.

A previsão é de que os R$15 bilhões sejam usados pelos próximos três meses. Serão beneficiadas cerca de 15 a 20 milhões de pessoas, recebendo auxílio emergencial de R$200 cada.

Assim que os recursos forem liberados, o governo vai lançar uma medida provisória com todas as regras sobre os requisitos de participação. O que se sabe até agora é que terão direito os trabalhadores informais ou desempregados, com mais de 18 anos.

Devendo fazer parte de famílias de baixa renda, conforme os critérios do Cadastro Único. Onde é exigida a comprovação de ganho mensal igual ou inferior a dois salários mínimos.

Os trabalhadores autônomos que receberão as parcelas não podem acumular o pagamento com o BPC, Bolsa Família, seguro desemprego ou benefícios previdenciários.

Leia Mais: Projeções de crescimento do Brasil em 2020 desabam

A ideia é que o pagamento seja feito em conta corrente, ou por meio da criação de um cartão específico para esse caso.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.